CIDADES

min de leitura - #

Chuvas causam tragédia na descida para litoral

Da Redação

| Edição de 29 de novembro de 2022 | Atualizado em 29 de novembro de 2022
Imagem descritiva da notícia Chuvas causam tragédia na descida para litoral

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Até a noite de ontem, foram confirmadas 2 mortes e seis pessoas resgatadas na queda de barreira que atingiu a BR-376, na noite de segunda-feira em Guaratuba. A extensão da tragédia, entretanto, deve ser conhecida apenas nos próximos dias. Segundo a Defesa Civil do Paraná, a estimativa é que a lama que desceu a encosta tenha atingido e soterrado seis carretas e de 10 a 15 veículos. A área de socorro envolve cerca de 200 metros nos dois lados da pista em local de difícil acesso, que está dificultando as equipes de resgate. O trânsito está fechado nos dois sentidos e não há estimativa de quando será retomado. 

O governo do Paraná decretou ontem estado de emergência por conta das chuvas que atingem a capital do estado e litoral, que está isolado por conta da queda de barreiras. Além da BR-376, houve deslizamentos na Estrada da Graciosa, que foi totalmente interditada ontem, e na BR-277, no km 41, próximo ao local atingido por queda de rochas no mês passado. 

Uma força-tarefa também foi apresentada ontem para atuar na operação de resgate no deslizamento da BR-376, em Guaratuba. Estão no local 54 bombeiros, três cães farejadores e equipes da Defesa Civil, além de engenheiros da Arteris Litoral Sul e equipes da Polícia Militar e Polícia Rodoviária Federal. 

O deslizamento aconteceu por volta das 19h30. Por volta das 16 horas, entretanto, deslizamentos já tinham causado a interdição da pista, liberada posteriormente. 

Por determinação do governador Ratinho Junior, um gabinete de crise foi criado para agilizar os atendimentos às vítimas e concentrar as tomadas de decisões das equipes estaduais com participação de várias secretarias e da Defesa Civil. 

“Nos solidarizamos com todos os familiares de quem perdeu sua vida. A situação é muita crítica e ainda há risco de desmoronamento de outros pontos da Serra do Mar. A vigilância é grande, tivemos inclusive que limitar o número de bombeiros que prestam atendimento”, disse o governador. 

O comandante do Corpo de Bombeiros do Paraná, coronel Manoel Vasco, explicou que a corporação está trabalhando com um número cauteloso de bombeiros por conta da situação crítica no local. Equipes de Guaratuba estão atendendo na parte Sul da rodovia e as de Curitiba na área Norte na tentativa de agilizar os trabalhos. 

Algumas máquinas já estão atuando na retirada de terra e de entulhos, e aeronaves também foram deslocadas, mas ainda não conseguiram operar por causa das condições climáticas. A orientação é que se evite viagens ao litoral. 

“Encontram-se agora, no local, 54 bombeiros e três cães farejadores do Gost, mas conforme evolua as condições de segurança, vamos aumentar a equipe de resgate, chegando a mais de 100 bombeiros na área”, afirmou Vasco.

Litoral registra chuvas acima da média e alagamentos

As equipes da Defesa Civil também acompanham outras emergências no Litoral, como inundações em Guaraqueçaba, Morretes e Matinhos, com o envio de ajuda humanitária e auxílio aos municípios na elaboração de decretos de situação de emergência e registro das condições locais. Até ontem à tarde que 1.081 pessoas foram afetadas pelas ocorrências em seis municípios, sendo que 557 estão desalojadas e 24 desabrigadas, e 122 casas foram danificadas.

Um dos principais desafios consiste na previsão de continuidade da chuva especialmente para a região litorânea. As estações meteorológicas do Estado identificaram chuvas acima da média histórica para o mês de novembro em cidades do Litoral e Região Metropolitana de Curitiba. De acordo com o Simepar, as cidades mais atingidas foram Guaratuba, Antonina, Curitiba, Paranaguá, Guaraqueçaba e Tijucas do Sul. No total, choveu quase 900 mm a mais do que a média histórica do mês de novembro na soma de todas essas cidades.

Familiares e amigos de pessoas que eventualmente possam ter desaparecido nesse local podem entrar em contato com a Central de Atendimento disponibilizada pela Polícia Científica, pelo telefone (41) 3361-7242. O serviço é 24 horas. Além disso, outras informações sobre o evento podem ser obtidas pelos telefones da Centro de Operações Cidade da Polícia 0800-282-8082.