POLÍTICA

min de leitura - #

Beto Preto é condecorado com a medalha Coronel Sarmento

Da Redação

| Edição de 17 de maio de 2022 | Atualizado em 17 de maio de 2022
Imagem descritiva da notícia Beto Preto é condecorado com a medalha Coronel Sarmento

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O ex-prefeito de Apucarana e ex-secretário estadual da Saúde, Beto Preto, recebeu nesta terça-feira a medalha Coronel Sarmento, a maior honraria da Polícia Militar do Paraná, pela forma notória como combateu a pandemia do coronavírus em todo o Estado. A entrega da medalha foi feita pelo comandante-geral da PM, coronel Hudson Leôncio Teixeira, na Academia Policial Militar do Guatupê, em São José dos Pinhais, na Região Metropolitana de Curitiba.

Beto Preto agradeceu a honraria e dividiu o reconhecimento público com todos os profissionais de saúde do Paraná. “Quero especialmente fazer um agradecimento à Polícia Militar e ao Corpo de Bombeiros, que nos ajudaram no enfrentamento da Covid-19”, destacou.

A honraria é conferida a personalidades da sociedade civil e militares que, ao longo de suas carreiras, se destacaram de forma notória no desenvolvimento de suas atividades em favor da causa pública.

A medalha entregue ao ex-secretário Beto Preto faz referência ao patrono da Polícia Militar do Paraná, coronel Joaquim Antônio Sarmento (1882-1934), que é um dos protagonistas mais emblemáticos da história do Paraná. Ele foi reconhecido patrono da Polícia Militar do Paraná por ter dedicado sua vida à corporação e pela luta na “Campanha do Contestado”, em 1912, na qual foi ferido no olho. Sempre atuou pela manutenção da democracia e da liberdade. 

A homenagem prestada à sua memória tem por objetivo relembrar seus ensinamentos e manter vivo entre os policiais o exemplo por ele deixado na busca dos melhores serviços prestados para a comunidade.

Coronel Sarmento nasceu no dia 17 de maio de 1882 e ingressou na Polícia Militar em 1907. Participou de todas as operações revolucionárias travadas pela corporação entre 1912 e 1926, comandando a tropa paranaense na “Revolução de 1924”. Foi para a reserva em 1926, sendo chamado na ativa em 1929 pelo período de um ano, sendo definitivamente reformado em 1930.

Sarmento faleceu no dia 21 de abril de 1934, dia de Tiradentes, que é patrono de todas as polícias do Brasil.