CIDADES

min de leitura - #

Autarquia Municipal de Saúde denuncia falta de vacinas na 16ª RS de Apucarana

Da Redação

| Edição de 25 de julho de 2018 | Atualizado em 25 de janeiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A Autarquia Municipal de Saúde (AMS), de Apucarana, informou ontem que já registra a falta de três vacinas e está trabalhando com o estoque baixo com outras duas. A informação, segundo a AMS, visa esclarecer à população sobre o fato de as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) do município não poderem atender aqueles que estão em busca da imunização contra determinadas doenças. A distribuição das doses é de responsabilidade da 16ª Regional de Saúde (RS), órgão do governo estadual, que negou o problema. 

O diretor-presidente da Autarquia Municipal de Saúde, Roberto Kaneta, explica que no momento estão em falta em Apucarana as vacinas contra varicela (catapora), contra poliomielite (gotas), e a tetra viral, que imuniza contra caxumba, sarampo, varicela e rubéola. 
“Ainda estamos com estoque baixo, praticamente no limite, das vacinas antirrábica humana, bem como os soros antirrábico humano e antiveneno. No primeiro caso, a pessoa recebe a vacina quando é mordida por cães e gatos, e no segundo quando é picada por cobra”, complementa o coordenador do setor de epidemiologia, Luciano Pereira.

Imagem ilustrativa da imagem Autarquia Municipal de Saúde denuncia falta de vacinas na 16ª RS de Apucarana


Segundo ele, o desabastecimento de algumas vacinas já vem sendo comunicado pelo Ministério da Saúde, através de notas técnicas, desde o início do ano. O ciclo de distribuição das vacinas começa pelo Ministério da Saúde, que repassa os lotes para as Secretarias de Estado da Saúde que, por sua vez, encaminham para as Regionais de Saúde. “Só podemos fazer o abastecimento de vacinas nas UBSs quando recebemos as doses da 16ª Regional de Saúde. Não há como ter acesso a vacina de outra forma”, detalha Luciano Pereira da Silva. 
Uma das imunizações que deve ser recebida pela criança já nos primeiros dias de vida, a vacina BCG, contra tuberculose, é outra, segundo o coordenador do setor de epidemiologia, que está com estoque no limite. “Diante desta situação, o município adotou a medida de centralizar a oferta dessa vacina em uma única UBS, a Romeu Milani, na Rua Osvaldo Cruz, centro da cidade, e com dias específicos, na quarta-feira e sexta-feira”, informa. Essa estratégia, conforme explica Luciano, é para evitar o desperdício, já que cada frasco com 10 doses, tem validade de 6 horas depois de aberto.
O prefeito Beto Preto (PSD) pede a compreensão da população para o problema da falta de algumas vacinas. “É uma situação delicada, mas que não está ao nosso alcance solucionar já que dependemos de esferas superiores para a vacina chegue as nossas unidades de saúde. De qualquer forma, entrei em contato direto com a Secretaria de Estado da Saúde para que nos abasteça o mais rápido possível com as doses de todas as vacinas previstas no Calendário Nacional de Vacinação”, destaca Beto Preto. 

OUTRO LADO
Procurada pela reportagem, Márcia Cristina Krempel, chefe da 16ª RS, contestou a informação. Ela admite que os estoques das vacinas tetra e contra varicela estão baixos, mas pontua que é um problema nacional. Ela nega, no entanto, que falte vacina contra a pólio. “As doses de uso de rotina nunca faltaram. Já as doses para a campanha de vacinação em agosto foram entregues ao município hoje (ontem)”, diz Márcia. 
Ela também contesta a informação sobre a BCG. “Não temos um estoque muito grande, mas não está faltando. É só o município se organizar, usando o frasco inteiro, que não vai faltar”, afirmou. Ela também garantiu estoques das vacinas antirrábica humana, bem como os soros antirrábico humano e antiveneno.