CIDADES

min de leitura - #

Avó centenária conta o segredo da longevidade

Silvia Vilarinho

| Edição de 25 de julho de 2022 | Atualizado em 25 de julho de 2022
Imagem descritiva da notícia Avó centenária conta o segredo da longevidade

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Ter avó é muito bom, já pensou se ela for uma senhorinha simpática de 100 anos? No Dia dos Avós, comemorado hoje,  a família Humeniuk tem o privilégio de passar a data coma matriarca da família: Thereza Balan Humeniuk, que acaba de completar um século de vida. Mãe de cinco filhos e avó de 13 netos, sendo também bisavó nove vezes, ela é um exemplo de disposição. 

Quando Thereza nasceu, em 13 de julho de 1922, cem anos atrás, o mundo era muito diferente, mais difícil. Descendente de ucranianos, Thereza nasceu em Santa Catarina e veio para Apucarana ainda mocinha, aos 13 anos, acompanhada dos pais e irmãos. Dessa época, ela lembra que chegou a morar com a família embaixo de uma tenda feita de palmito quando tudo que se via era mato. 

Thereza se casou aos 22 anos com o marido José, já falecido. Os dois se mudaram para a casa onde ela ainda mora – no centro da cidade - e juntos eles criaram os 5 filhos. Trabalhando em um mercadinho ao lado do esposo, vendendo fiado ela lembra com humor dos ‘casos’ que aconteciam na época. 

“Sabe o que fazíamos no começo? Nós marcamos na caderneta tudo que freguês levava e no fim do mês ele acertava o que devia, mas a caderneta ficava só com o freguês. Nós não tínhamos uma cópia confiávamos neles, mas teve dois que perderam as cadernetas com todas as anotações dos produtos do mês, aí não recebemos”, lembra Thereza. 

Completamente lúcida, ela gosta de flores, adora conversar e dar conselhos. A casa em que ela vive é cercada de plantas, todas plantadas por ela mesma. “Toda vida eu gostei muito de plantar, plantei flores, frutas e ervas medicinais”, disse ao ressaltar que o quintal é considerado o lugar preferido dela que, mesmo com as limitações por conta da idade, faz questão de cuidar um pouco do jardim.

E o segredo para a longevidade, para dona Thereza é viver um dia de cada vez. “Tem dias que a gente pensa que é criança, tem dias que pensa que é mais nova, mas eu não penso que eu tenho cem anos. Como todas as pessoas em alguns dias eu estou bem e em outros nem tanto, mas sempre estou sorrindo”, disse. (SILVIA VILARINHO)