CIDADES

min de leitura - #

Chuva ultrapassa média de agosto

Da Redação

| Edição de 19 de agosto de 2020 | Atualizado em 25 de janeiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Em quatro dias, o volume de chuva registrado em Apucarana e região já ultrapassou a média esperada para o mês de agosto inteiro. Dados do Sistema Meteorológico do Paraná (Simepar) apontam que o acumulado de sexta-feira (14) até ontem contabilizou 87 milímetros de chuva. A média aguardada para este mês era de 70 milímetros. Ainda conforme previsão do Simepar, os moradores da região devem se preparar para temperaturas mais baixas nos próximos dias devido a frente fria que se forma no litoral e segue para o norte. No sul do Estado tem possibilidade de neve e chuva congelada. 
“Geralmente agosto é um mês mais seco, que não chove tanto. Mas o acumulado já superou a média esperada para o mês inteiro”, comenta a meteorologista Ana Beatriz Porto.
Ela explica que há uma grande instabilidade atmosférica presente sobre o Paraná, vinda do Paraguai e do Mato Grosso do Sul, proporcionando a formação de muita chuva em todo o Estado, com maior volume nas regiões oeste e noroeste. 
Ontem, o dia foi marcado por chuvas e frio ao longo do dia. E as precipitações devem seguir por boa parte da semana em Apucarana e região. A previsão para hoje é que a circulação dos ventos continue transportando um ar instável até o Paraná, junto com a presença de uma frente fria sobre o oceano. Nestas condições as taxas de instabilidade ficam extremamente elevadas, com chuvas fortes, muitos raios e risco de ventos acima dos 50 km/h. Em Apucarana e região a máxima deve chegar a 21ºC e mínima de 15ºC. Temperaturas ainda mais baixas poderão ser registradas depois de amanhã que tem previsão de 8ºC, no sábado 6ºC e no domingo 3ºC, conforme o Simepar. 
De acordo com a meteorologista, a frente fria poderá ainda provocar neve e chuva congelada nos Estados da região sul do País. A massa de ar polar vinda da Argentina vai provocar uma queda brusca na temperatura a partir de amanhã. A meteorologista do Simepar disse que há pequena chance de o fenômeno ocorrer no sul do Paraná. 
“Há uma condição mais favorável para serra catarinense e pequena chance no sul do Estado. A condição é grande pelo menos para o centro sul”, informa.