CIDADES

min de leitura - #

Com desocupação em 3,64%, Apucarana atinge pleno emprego

Da Redação

| Edição de 08 de junho de 2022 | Atualizado em 08 de junho de 2022
Imagem descritiva da notícia Com desocupação em 3,64%, Apucarana atinge pleno emprego

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Em Apucarana, a taxa de desemprego medida pela Secretaria de Estado da Justiça, Família e Trabalho (Sejuf) neste mês é de 3,64%. Os dados foram compilados a partir do último Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) - divulgado mensalmente pelo Ministério do Trabalho e Previdência - pelo Departamento do Trabalho da Sejuf, que também aponta que a Agência do Trabalhador de Apucarana é a 3ª no estado com maior oferta de vagas.

“O índice de 3,64% de desemprego em Apucarana representa que 96,36% da população economicamente ativa está trabalhando no município”, explica Guilherme Jonas Garbelini, do Departamento do Trabalho da Sejuf.  O índice coloca Apucaran dentro do chamado pleno emprego - conceito usado por alguns economistas quando a taxa de ocupação atinge entre 4% e  6%. 

Segundo o último Caged, Apucarana é atualmente - conforme o sistema informatizado da Sejuf - a 3ª cidade do Estado, com mais vagas ofertadas na sua Agência do Trabalhador. De acordo com a Sejuf, Apucarana, que tem uma população estimada de 137.438 pessoas, tinha ontem um total de 625 vagas de emprego ofertadas.

O primeiro lugar no ranking é Curitiba, capital do estado com uma população de 1.963.726 pessoas, que ofertou ontem um total de 994 vagas de emprego. Em segundo lugar no ranking está Cascavel com 869 vagas de emprego e população de 336.073. 

O prefeito Junior da Femac recebeu os números da Sejuf, que apontam pleno emprego em Apucarana e o terceiro lugar no ranking de oferta de vagas de emprego entre todas as agências do Estado, com muita satisfação. Para ele, estes números são resultado da força da indústria, comércio, agricultura, serviços, turismo e da construção civil de Apucarana.

“Isso é fruto do diálogo que existe entre a iniciativa privada e o poder público. É resultado dos programas estruturados pela prefeitura, como os cursos técnicos do Programa Portas Abertas, apoio às empresas da cidade, atração de novos investimentos em todas as áreas, novo plano diretor e, enfim, das diversas iniciativas que, aliadas ao planejamento da gestão e somadas à força da nossa iniciativa privada, fazem de Apucarana uma cidade referência em emprego no Paraná e no Brasil”, avalia o prefeito.

Segundo o prefeito, com a ajuda do Sebrae, da Associação Comercial, Industrial e Serviços (ACIA), do Governo do Estado com a Fomento Paraná, dos sindicatos da indústria e rural, além o apoio dos sindicatos dos trabalhadores, Apucarana se preparou para a retomada da economia no pós-pandemia. “Com as graças de Deus, os resultados positivos vão surgindo e, com absoluta certeza, vamos avançar cada vez mais”, pontua.


Diversificação e ações de empregabilidade

O presidente da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Apucarana (Acia), Wanderlei Faganello, avalia que esse é um importante momento do comércio, da indústria – que representa mais de 50% dos empregos na cidade - e de serviços. “Apucarana está muito bem preparada para essa retomada da economia no pós-pandemia. Tudo isso envolve o apoio da prefeitura, da ACIA e do Sebrae. Vale destacar o treinamento de mão de obra voltado para as micro e pequenas empresas”, assinala Faganello.

Ele acrescenta ainda que Apucarana avança devido à diversidade de atividades industriais. Isso demonstra que a cidade mantém muitas funções ou tipos de trabalho, o que equivale a mais de 60% do que está previsto na Classificação Nacional de Atividade Econômica (CNAE).

O gerente da Agência do Trabalhador de Apucarana, Neno Leiróz, diz que Apucarana vem conseguindo reduzir a taxa de desemprego gradativamente. “Na Agência do Trabalhador estamos desenvolvendo políticas e ações de Empregabilidade. Já promovemos três mutirões de emprego, capacitação e incentivo ao primeiro emprego”, argumenta Leiróz.

Ele ressalta que a administração vem investindo pesado na qualificação da mão de obra, por meio da oferta gratuita de cursos profissionalizantes. 


Aposta em qualificação

Com oferta gratuita de cursos profissionalizantes comprados pela prefeitura junto ao Sesc e Senai, atendendo demanda apontada pelos empresários, o município qualificou 251 trabalhadores no primeiro quadrimestre.

Entre os cursos ofertados estão capacitações para trabalhadores da indústria, comércio e serviços em 12 atividades. Segundo a prefeitura, mais 420 trabalhadores devem ser formados ainda neste ano.