CIDADES

min de leitura - #

Décimo terceiro dos aposentados deve injetar mais de R$ 30 milhões na região

Cindy Santos

| Edição de 25 de abril de 2022 | Atualizado em 25 de abril de 2022
Imagem descritiva da notícia Décimo terceiro dos aposentados deve injetar mais de R$ 30 milhões na região

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Começou ontem e segue até 6 de maio o pagamento da primeira parcela do 13º salário do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) a aposentados e pensionistas. Na região, mais de R$ 30,1 milhões devem ser injetados em nove municípios com cerca de 20 mil beneficiados, conforme a estimativa do Núcleo de Conjuntura Econômica e Análises Regionais (Nuces), do campus de Apucarana da Universidade Estadual do Paraná (Unespar). Além disso, com o saque extraordinário do FGTS, a expectativa do comércio é que a economia seja movimentada com mais dinheiro circulando. 

A presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Apucarana (Sivana) Aida Assunção aposta que o dinheiro fomente ainda mais as vendas do comércio. “Isso é excelente para o comércio, esses recursos que vão entrar e o saque do FGTS vai ajudar muito”, disse. 

A gerente de uma loja de roupas femininas de Apucarana, Fernanda Rocha, acredita que os benefícios ajudarão os clientes a terem um fôlego nas contas e que isso poderá refletir em mais consumo no comércio, principalmente agora que o Dia das Mães se aproxima. 

“A expectativa é ótima porque o Dia das Mães está aí e com a população com dinheiro acaba aquecendo as vendas”, assinala. 

Enquanto o comércio espera uma grande movimentação, o economista Rogério Ribeiro, professor da Unespar Apucarana, haverá reflexos sim, mas de forma muito suave. Devido a atual situação financeira, a população deve destinar os recursos ao pagamento de dívidas e compra de itens de primeira necessidade, como alimentos. 

“Vamos ter reflexos no consumo, sim. Mas de forma muito suave. Penso que o foco principal das pessoas será o pagamento de contas atrasadas e poupar para as despesas futuras”, comenta.

RETOMADA DO

 CRESCIMENTO

O economista lembra ainda que se trata de um adiantamento do 13º e não um abono. Portanto, os aposentados e pensionistas não poderão contar com esse dinheiro no fim do ano. De acordo com Ribeiro, o Governo Federal adiantou o dinheiro para ajudar a retomada do crescimento do PIB. 

“O consumo das famílias corresponde a cerca de 60% do PIB, daí uma estratégia para potencializar o nível de atividade econômica. Combinado com isto temos que estamos em ano eleitoral e o governo tem o interesse de criar uma sensação de bem-estar com o ingresso deste recurso na economia. É o ciclo político tradicional”, analisa.

Ao todo, o adiantamento injetará R$ 56,7 bilhões na economia, sendo R$ 28,3 bilhões pagos na primeira parcela em todo o país. Até 6 de maio, serão liberados benefícios aos grupos de aposentados e pensionistas. O governo estabeleceu um calendário para antecipar o pagamento do dinheiro que leva em conta o número final do cartão de benefício, sem considerar o último dígito verificador, que aparece depois do traço.