CIDADES

min de leitura - #

DRAMA FAMILIAR

DA REDAÇÃO

| Edição de 15 de agosto de 2020 | Atualizado em 25 de janeiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Uma família de Apucarana vive o drama de ter perdido dois entes queridos para a Covid-19 e a angústia de aguardar a melhora de uma outra pessoa da família que está internada em estado grave na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Covid do Hospital da Providência. 

Cristian Pablo Dias, de 29 anos, aguarda todos dias um sinal de melhora da esposa e filho recém-nascido internados, além de ter sepultado cunhada e sogro que morreram em um intervalo de 4 dias, vítimas do coronavírus. Ele contou à Tribuna sobre os dias difíceis que tem enfrentado. 
A esposa dele, Viviane Souza Nairne, de 30 anos, grávida de 7 meses do terceiro filho, foi internada com sintomas da doença no Hospital Materno Infantil no dia 27 de julho. Um dia antes, a irmã dela, Waldirene Nairne, de 47 anos, foi internada no Hospital da Providência também com sintomas da doença e testou positivo. No dia 28 de julho, Viviane foi transferida para a UTI do Hospital da Providência, em estado grave, também com teste positivo para coronavírus. O pai delas, João Nairne, de 75 anos, também precisou ser internado no dia 02 de agosto. 
Dias conta que ninguém sabe como o vírus chegou até a família. “Nós moramos todos no mesmo quintal, em duas casas, meu sogro e sogra com minhas cunhadas na casa da frente e eu com minha esposa e duas filhas na casa dos fundos. Tínhamos contato diário por sermos todos da mesma família”, explica Dias. 
“Minha cunhada, Waldirene foi a primeira a apresentar os sintomas e ser internada. Na mesma semana, minha esposa começou a sentir algumas dores diferentes, cansaço e depois de dois dias dos sintomas foi atendida no Materno Infantil, onde ficou internada até ser transferida para o Providência. Em seguida, meu sogro. Foi tudo muito rápido. A família toda precisou ser testada. Eu, minha filha mais velha, minha sogra, minha outra cunhada e o filho da Waldirene deu positivo, mas sem sintomas. Meu concunhado, a filha dele e a minha filha do meio deu negativo”, conta. 
No dia 03 de agosto, Viviane precisou passar por uma cesárea de emergência e deu à luz a um menino, que permanece internado na UTI Neonatal do Materno Infantil. O teste do bebê para Covid-19 deu negativo. Dias conta que ainda não teve a chance conhecer o filho. “Ele nasceu no dia 03, mas na UTI não pode visitar. O teste dele deu negativo e a última notícia dele que tive  é que estava bem, mas faz 2 dias que estou sem notícias porque a médica que cuidava dele foi afastada e depois disso não me ligaram mais”, disse. 
O drama familiar comoveu centenas de pessoas nas redes sociais que fazem corrente de oração pela recuperação de Viviane e do bebê. Muitos rezam também pelo luto que a família enfrenta. Dias afirma que tem acompanhado tudo e agradece a todos pelo carinho que tem recebido. “Só tenho a agradecer a todos pelas orações, pela força e carinho que estão me dando nesse momento tão difícil da minha vida. A gente está rezando por todos. Todos os dias nos reunimos para rezar. Pedir para o milagre da cura e por todos que estão orando por nós”, contou.