CIDADES

min de leitura - #

Educação de Apucarana serve 40,5 mil refeições diariamente

Da Redação

| Edição de 02 de setembro de 2022 | Atualizado em 02 de setembro de 2022
Imagem descritiva da notícia Educação de Apucarana serve 40,5 mil refeições diariamente

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A Autarquia Municipal de Educação serve, diariamente, 40,5 mil refeições aos doze mil estudantes da sua rede. As crianças dos 23 Centros Infantis (CMEIs) são contempladas com café da manhã, lanche da manhã, almoço, lanche da tarde e jantar. Já os alunos das 35 escolas são servidos no café da manhã, almoço e lanche da tarde. O jantar ainda é garantido aos matriculados na Educação de Jovens e Adultos (EJA). A merenda impressiona tanto pelos números como pela qualidade nutricional, que foi adequada recentemente dentro da nova política do Programa Nacional da Alimentação Escolar (PNAE).

“Os cardápios são planejados por uma equipe de nutricionistas e publicados no site da Prefeitura de Apucarana (www.apucarana.pr.gov.br) no início de cada mês, para que os pais possam ter ciência da alimentação que seus filhos estão recebendo nas unidades de ensino. Transparência é prioridade na minha gestão”, diz o prefeito Junior da Femac.

A secretária municipal de educação, Marli Fernandes, destaca que uma nova resolução do FNDE, que dispõe sobre o atendimento da merenda no âmbito do Programa Nacional da Alimentação Escolar (PNAE), entrou em vigor no dia 8 de maio de 2020.

“Esta resolução proíbe, entre outras coisas, a oferta de açúcares, gorduras trans e alimentos ultra processados para as crianças até três anos de idade. Outros produtos devem ser consumidos em quantidade bastante limitada. A margarina, por exemplo, pode ser servida no máximo uma vez por semana nas escolas integrais e duas vezes ao mês naquelas que atendem em período parcial. Outra mudança imposta pela resolução é a substituição do achocolatado, que é rico em açúcares e aditivos químicos, pelo cacau em pó”, explica a secretária.

A diretora do Departamento de Alimentação Escolar, Jaqueline de Oliveira, acrescenta que a nova resolução está em consenso com o Guia Alimentar para a População Brasileira e o Guia Alimentar para Crianças Brasileiras Menores de Dois Anos.

“Em razão da nova resolução, nós enviamos uma quantidade limitada de manteiga às unidades de ensino e orientamos as merendeiras a fazerem manteiga a partir da nata e requeijão caseiro, que são alimentos mais saudáveis que os industrializados. Nós pedimos o apoio das famílias e da comunidade, pois o principal objetivo é a boa educação nutricional e, consequentemente, evitar o surgimento de doenças crônicas a longo prazo nos estudantes”, explica a nutricionista.

A AME atende aos mais de doze mil alunos da sua rede de forma igualitária. “Nós asseguramos a todos os estudantes uma merenda de qualidade, inclusive àqueles que têm restrições alimentares, como diabetes, intolerância ao glúten ou lactose, doença celíaca, alergia à proteína do leite, alergia ao ovo e fenilcetonúria”, conclui o prefeito Junior da Femac.