CIDADES

min de leitura - #

Erradicação de árvores gera polêmica em Ivaiporã

Da Redação

| Edição de 05 de julho de 2022 | Atualizado em 05 de julho de 2022
Imagem descritiva da notícia Erradicação de árvores gera polêmica em Ivaiporã

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Desde que deu início ao programa Centro Novo, revitalizando e implantando a ciclovia na Avenida Brasil, a Prefeitura de Ivaiporã recebe queixas de moradores acerca do corte de árvores. Até agora, foram retiradas 14 que, segundo a prefeitura, serão substituídas por espécies adequadas.

Segundo a diretora do Departamento de Meio Ambiente, Denise Kusminski, o corte das árvores segue critérios técnicos e a extração de árvores é feita quando a planta é senescente – fase terminal do desenvolvimento biológico dos vegetais, porque apresenta doença irreversível ou põe em risco quem trefega ou estaciona veículos próximos.

Segundo ela, árvores de boa aparência podem ter problemas sérios na raiz, tronco ou nos galhos. “Inclusive há árvores que não fazem parte do trajeto da ciclovia que precisam de corte. Por isso, fazemos o manejo e substituição das espécies. Por outro lado, aquelas árvores que se encontram em boas condições serão contornadas pela ciclovia – assim como foi feito nos grandes centros”, esclareceu Denise Kusminski.

A obra em andamento - entre a Fatec e a Praça Manoel Teodoro da Rocha - engloba a Fase I do projeto Centro Novo. A fase II encontra-se em processo de planejamento e projeto para ser desenvolvida em trecho a partir da Casa Esperança até a Praça Manuel Marques Pereira. O percurso da Fase II soma 2,2 km.

Denise Kusminski antecipou que haverá mais cortes de árvores e substituições na Avenida Souza Naves porque a maioria das espécies é alfeneiro (Ligustrum spp) e integra a lista de espécies exóticas no Paraná conforme a Portaria 059/2015 do IAP.

“Trata-se de uma espécie exótica invasora que pode apresentar risco para a biodiversidade e conservação ambiental de ecossistemas nativos – além de causar prejuízos nas calçadas e fiação elétrica, alergias nas pessoas e manchas em roupas e automóveis devido aos frutos”, esclareceu Denise Kusminski.

1.430 ÁRVORES

A secretária também apresentou um balanço do plantio de mudas. Entre janeiro de 2021 e junho de 2022, o Departamento de Meio Ambiente plantou 1.430 árvores. Na área urbana, os pontos com maior concentração de mudas plantadas foram as avenidas Maranhão, onde foram plantadas 170 mudas; Osvaldo Cruz (90) e Aparício Cardoso Bitencourt (77). A equipe do Departamento de Meio Ambiente também doou 4.711 mudas das mais variadas espécies produzidas no Viveiro Municipal