CIDADES

min de leitura - #

Mulher que vendia remédio abortivo pela internet é presa

Silvia Vilarinho

| Edição de 31 de maio de 2022 | Atualizado em 31 de maio de 2022
Imagem descritiva da notícia Mulher que vendia remédio abortivo pela internet é presa

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Uma mulher de 26 anos foi presa pela Polícia Civil de Apucarana pela venda do medicamento Cytotec, medicamento abortivo que é proibido no Brasil. Na casa dela, no Jardim Novo Horizonte, os investigadores encontraram comprimidos e caixas de correspondências que eram enviadas para outros estados.

De acordo com o delegado Marcus Felipe da Rocha, a mulher comprava o medicamento no Paraguai e revendia pela internet. Ela cobrava R$100 por comprimido mais o valor do frete. “O setor de inteligência da Polícia Civil estava apurando a venda de medicamento abortivo e as investigações apontaram para essa mulher que comercializava nas redes sociais, Facebook e em grupos de WhatsApp, acreditamos que ela enviou o medicamento para pessoas que moram em Minas Gerais e São Paulo, através dos correios, trocamos informações com os policiais desses estados e tudo indica que ela estava vendendo o medicamento”, explica.

Os investigadores cumpriram mandado de busca e apreensão autorizado pela Justiça na tarde de segunda-feira (30). Na casa da suspeita os policiais encontraram uma cartela com cinco comprimidos e cartelas vazias. “Ela foi autuada em flagrante por vender e ter em depósito medicamento que tem vida proibida no Brasil, medicamento abortivo”, disse.

A mulher, que não tem passagens pela polícia, foi levada para a 17ª Subdivisão Policial de Apucarana. A pena pelo crime pode variar de 10 a 15 anos de prisão. Na casa dela, os policiais ainda encontraram uma pequena porção de maconha, que seria do namorado. (SILVIA VILARINHO)