CIDADES

min de leitura - #

Obras do programa Vida Nova avançam em Jandaia

Da Redação

| Edição de 19 de maio de 2022 | Atualizado em 19 de maio de 2022
Imagem descritiva da notícia Obras do programa Vida Nova avançam em Jandaia

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A construção de 75 casas populares do Governo do Estado para famílias carentes de Jandaia do Sul já ultrapassou os 21% de execução. Após vistoria técnica realizada pela Cohapar ao canteiro de obras nesta semana, em conjunto com representantes da prefeitura, a previsão é de que a obra seja concluída até o início de 2023.

Com um investimento de R$ 6,7 milhões do programa Vida Nova, o conjunto habitacional conta com residências com plantas padrão de 38 metros quadrados, além de unidades de 47 metros quadrados adaptadas para pessoas com deficiência. Os subsídios estaduais, geridos pela Cohapar, permitirão que o público beneficiado, formado por pessoas em situação de vulnerabilidade social, seja realocado sem qualquer custo.

Segundo o governador Carlos Massa Ratinho Junior, que participou da assinatura da ordem de serviço da obra em 2021, o objetivo é replicar a experiência realizada em Jandaia do Sul em outras regiões carentes do Estado. “Nós queremos tirar as pessoas de áreas extremamente pobres ou de risco e dar a elas um lugar decente em que possam viver”, disse. “São 75 famílias aqui em Jandaia do Sul que serão atendidas e a ideia é expandir essa iniciativa para várias cidades do Paraná”.

De acordo com a chefe do escritório regional da Cohapar, Elisângela Araújo, a construtora deve cumprir o prazo estipulado em contrato. “Temos observado que o empreendimento está cumprindo o cronograma previsto e até o primeiro trimestre de 2023 as unidades habitacionais, com toda a infraestrutura do entorno, deverá ser entregue à população”, informa.

“Esse projeto vem para atender famílias que estão desprovidas não apenas de habitação, mas também de saneamento básico adequado e de outros serviços públicos”, explica Elisângela. “Atualmente, elas residem na favela Santo Antônio, que é a principal área de manancial do município, e que após a desocupação pelas famílias vai receber um trabalho de recuperação ambiental”.

RECUPERAÇÃO AMBIENTAL – Sob a responsabilidade da Sanepar, a intervenção prevê a demolição das estruturas existentes, limpeza do local e implantação de um parque com função dupla: evitar a reocupação irregular e servir como uma opção de lazer à população da região. O local fica próximo à nascente do rio Marumbi, que abastece Jandaia do Sul.