CIDADES

min de leitura - #

Produção agropecuária da região fatura R$ 7,6 bilhões

Cindy Santos

| Edição de 01 de julho de 2022 | Atualizado em 01 de julho de 2022
Imagem descritiva da notícia Produção agropecuária da 
região fatura R$ 7,6 bilhões

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O faturamento da agropecuária regional atingiu R$ 7,6 bilhões no ano passado, o maior já registrado em valores nominais na série histórica. Relatório preliminar da Secretaria Estadual da Agricultura e do Abastecimento (Seab), divulgado nesta semana, aponta que o Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) de 2021 teve um crescimento de quase 48% em relação a 2020 quando os 27 municípios do Vale do Ivaí mais Arapongas somaram R$ 5,1 bilhões. 

As cidades com os maiores VBPs são Apucarana (R$ 813,4 milhões), Arapongas (R$ 638,6 milhões), Marilândia do Sul (R$ 603,6 milhões) e Ivaiporã (R$ 370,4 milhões) (leia o box). 

Economista Paulo Franzini, do Departamento de Economia Rural (Deral) atribui o bom desempenho da agropecuária aos preços das commodities, sobretudo a soja e a carne de frango, que impulsionaram o faturamento na região, cujo percentual de crescimento superou a média estadual de 41%. 

Franzini destaca que a maior parte dos municípios da região, sobretudo os pertencentes ao Núcleo Regional de Apucarana, são bons produtores de soja. “A soja teve uma boa safra e os preços contribuíram bastante. O frango de corte também está entre os principais produtos em VBP, o que impacta bastante o faturamento”, destaca. 

Segundo o economista, a valorização de preço do café e do milho também contribuiu para o crescimento do VBP regional. “De forma geral, mesmo que tivemos problemas significativos com as plantações, sobretudo as de milho segunda safra, por conta das geadas e estiagem, isso acabou não impactando tanto por conta da alta dos preços recebidos, que compensou essa menor produção”, observa Franzini. 

APUCARANA

O maior VBP da região é o de Apucarana, que ultrapassa R$ 813,4 milhões. O faturamento do ano passado é 67,6% maior do que o de 2020 quando a agropecuária apucaranense atingiu R$ 485,1 milhões. A produção de frango de corte (R$ 385,5 milhões), soja (R$ 208,9 milhões), café (R$ 50,7 milhões) e milho (R$ 41,8 milhões) são os principais responsáveis pela pujança no setor econômico do município. 

O prefeito, Junior da Femac, comemora o resultado e afirma esse demonstra a força que Apucarana possui no campo. “Devemos isso ao empreendedorismo no campo, à força das famílias que moram na zona rural. Fica o nosso agradecimento à cada homem, mulher e jovem que fazem acontecer em suas propriedades”, afirma. 

O prefeito destaca ainda que esse avanço também se deve a uma gama de iniciativas do poder público por meio de programas e também de parcerias. “Apucarana vem se consolidando cada vez mais como polo de produção agropecuária. E esse dinheiro faturado vai aparecer na cidade, na construção civil, nos mercados, farmácias, venda de carros e outros setores. Isso explica como Apucarana está à frente de cidades maiores quando falamos de potencial de consumo. Isso se deve a sua matriz econômica diversificada”, conclui o prefeito. 


Clima e solo favorecem a região

O bom desenvolvimento das lavouras da região se deve também a aptidão de solo e clima, afirma o economista do Deral, Paulo Franzini. 

“Temos sim solo favorável e clima para manutenção de aviários. Tudo isso colabora com essa diversidade de produtos que compõem a agropecuária regional”, assinala.

No VBP de 2021 todos os municípios da região tiveram aumento no faturamento. No ranking regional, Arapongas atingiu o segundo maior valor: R$ 638,6 milhões. A soja (R$ 210,3 milhões), ovos de galinha (173,8 milhões), frango de corte (R$ 133,1 milhões) e o trigo (R$ 18 milhões) os produtos que mais geraram riquezas segundo o relatório. 

Marilândia do Sul é o terceiro município da região com o maior VBP, puxado principalmente pela produção de soja (R$ 203,3 milhões), frango de corte (R$ 101,7 milhões), cenoura (R$ 59,7 milhões) e beterraba (37,2 milhões).

Os municípios com os maiores aumentos percentuais são Rio Branco do Ivaí (134,3%), Arapuã (124%) e Godoy Moreira (92,3%). 

A nível de Estado, o VBP somou R$ 180,4 bilhões, um crescimento de 41% em comparação com 2020.