CIDADES

min de leitura - #

Região registra 13 mortes por confrontos em 2021

Fernando Klein

| Edição de 27 de abril de 2022 | Atualizado em 27 de abril de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Confrontos com policiais resultaram em 13 mortes nos municípios da região em 2021. Os números foram divulgados ontem pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Paraná (MP-PR). O número é 18% maior em comparação com 2020, quando foram 11 óbitos.

O maior número de confrontos na região que resultaram em mortes ocorreu em Arapongas. Foram 8 no ano passado. No entanto, os óbitos foram inferiores a 2020, quando foram 9 casos na cidade.

No relatório do Gaeco de 2021 são registradas mortes em confrontos também em Apucarana (2), Jandaia do Sul (1), Lunardelli (1) e Mauá da Serra (1). Os municípios com ocorrências do tipo aumentaram. Em 2020, além de Arapongas com 9 casos, foram registrados óbitos apenas em Bom Sucesso (1) e São João do Ivaí (1).

No Paraná, foram 417 mortes em 2021. O número indica um aumento de 9,74% em relação ao ano anterior, quando ocorreram 380 mortes.

Grande parte das ocorrências resultou de confrontos com policiais militares: 408 (208 no primeiro semestre e 200 no segundo), enquanto os casos envolvendo policiais civis foram dois (um em Curitiba e outro em Foz do Iguaçu), e os com guardas municipais somaram sete (cinco em Curitiba, um em São José dos Pinhais e um em Araucária).

Os municípios com mais mortes em confrontos policiais no ano passado foram Curitiba (105), Londrina (32) e São José dos Pinhais (26).

Ontem foi entregue ao governador do Estado uma carta assinada por diversas instituições, entre elas o MPPR, com sugestões para diminuição da violência policial no Paraná. O ofício sugere a adoção de câmeras nos uniformes e viaturas dos policiais militares, além da criação de um curso permanente e obrigatório sobre direitos humanos para a formação de policiais. (FERNANDO KLEIN)