CIDADES

min de leitura - #

Trânsito de Apucarana registra mais acidentes e mais mortes no semestre

Cindy Santos

| Edição de 12 de julho de 2022 | Atualizado em 12 de julho de 2022
Imagem descritiva da notícia Trânsito de Apucarana registra mais acidentes e mais mortes no semestre

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Por semana, quase seis acidentes de trânsito foram registrados em Apucarana, em média, no primeiro semestre deste ano. Segundo o Placar da Vida, levantamento do 10º Batalhão de Polícia Militar (BPM) foram 444 ocorrências no perímetro urbano da cidade, um aumento de 9,6% em comparação com o mesmo período de 2021, que somou 405 ocorrências. As mortes no trânsito também cresceram no período em comparação com o ano passado. Foram dois óbitos entre janeiro a junho deste ano, contra 1 registrado no mesmo período do ano anterior, alta de 100%. 

Um dos acidentes com óbito ocorreu em 15 de março, na Avenida Governador Roberto da Silveira, esquina com a Rua José Bonifácio, onde o condutor de uma moto, de 40 anos, morreu após colidir contra um carro. O outro acidente ocorreu em junho e também vitimou um motociclista de 41 anos que morreu após bater na lateral de uma caminhonete na Rua Cristiano Kusmaul, na região do Residencial Interlagos. 

Como o levantamento da PM leva em consideração apenas óbitos no local, não consta, por exemplo, a morte do entregador Matheus Santos Clemente, 25 anos, que faleceu no dia 2 de fevereiro, dois dias após o acidente que o vitimou na Vila São Carlos. Também não constam óbitos ocorridos em vias que são consideradas trechos urbanos de rodovias. Por conta disso, o placar não contabiliza duas mortes ocorridas em maio – uma jovem de 24 anos que caiu da garupa de uma moto na BR-369 no dia 15 e um motociclista de 44 anos que morreu após colidir com um Fiat Uno que furou a preferencial perto do viaduto do João Paulo na noite do dia 19.

O último acidente com morte no município foi registrado na noite da última  sexta-feira (09) na Rua Marcílio Dias, na Vila Nova. Um homem 41 anos morreu após ser atropelado na frente da casa do pai após tirar o filho do carro.

NÚMEROS

O número de pessoas envolvidas nas ocorrências também cresceu de 843 para 904, alta de 7,2%, bem como a quantidade de veículos envolvidos que passou de 771 para 864, aumento de 12%. Por fim, os acidentes envolvendo motos aumentaram 8,8% (veja o gráfico). 

A maior queda no Placar da Vida foi registrada no número de feridos que passou de 222 para 177 (- 42%). Ocorrências envolvendo bicicletas também caíram 42%, passando de 7 para 4 no período. Já os atropelamentos diminuíram de 21 para 18 (-14%).


Fim das restrições influenciou índice, diz Idepplan

Diretor-presidente do Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan), Carlos Mendes lamenta o aumento de acidentes e mortes no trânsito em Apucarana. No entanto, ele assinala que o número de ocorrências é menor, proporcionalmente, a outras cidades do mesmo porte ou até maiores. 

Segundo Mendes, o número de acidentes aumentou no primeiro semestre por conta do fim das restrições com a pandemia de covid-19. “O fluxo de veículos e de pessoas nas ruas cresceu com o avanço da vacinação e a retomada da rotina das pessoas. Isso repercute também na questão dos acidentes”, avalia. 

Ele afirma que o município vem atuando em ações de conscientização e também promovendo intervenções para melhorar o fluxo de veículos. Mendes cita como exemplo o projeto Interbairros, que promoveu interligações de bairros para desafogar o trânsito de algumas vias, e também a implantação de várias rotatórias nos últimos anos. 

Mendes admite que alguns acidentes ocorreram nas rotatórias, mas que isso é reflexo ainda da adaptação dos motoristas a esse novo formato de trânsito. “As rotatórias trouxeram resultados positivos, assim como o Interbairros. Com isso, a gente está conseguindo um trânsito que não é tão violento e ainda um bom fluxo dos veículos, até mesmo nos horários de pico”, avalia. (FERNANDO KLEIN)