ESPORTES

min de leitura

Djokovic chega à semifinal em Madri pela 7ª vez e encara Alcaraz, algoz de Nadal

(via Agência Estado)

| Edição de 06 de maio de 2022 | Atualizado em 06 de maio de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O sérvio Novak Djokovic continua firme na busca de seu primeiro título na temporada. Após o vice em Belgrado, o número 1 do mundo está pela sétima vez na carreira nas semifinais do Masters 1000 de Madri. A classificação veio sem sustos diante do polonês Hubert Hurkacz, com vitória por 6/3 e 6/4. Neste sábado, em busca pela vaga na decisão, ele enfrenta o prodígio espanhol Carlos Alcaraz, que superou as dores no tornozelo e, sob olhares de jogadores do Real Madrid, eliminou o compatriota Rafael Nadal com vitória por 2 a 1, parciais de 6/2, 1/6 e 6/3.

Djokovic teve uma atuação de líder do ranking nesta sexta-feira. Sacou bem, com força e precisão, encaixou seis aces, ganhou 65% dos pontos no primeiro serviço e 81% do segundo e não cedeu nenhum breakpoint ao polonês. Forçando o jogo, teve seis oportunidades de quebra e aproveitou uma em cada set para sair vencedor.

O sérvio começou a partida das quartas de final com tudo e foi logo abrindo 3 a 0, quebrando no segundo game. Bastou, depois, trocar serviços para fechar em 6/3 sem sustos, e logo no primeiro set point. A segunda parcial foi igual até 2 a 2 quando mais uma vez o sérvio conseguiu a quebra. Novamente repetiu a tática de apenas investir no saque para sair vencedor. Fez 4 a 2, e fechou em 6/4 aproveitando o quarto match point.

"Fiquei satisfeito com a forma como fui construindo os pontos. Tentei fazê-lo correr e errar e no geral foi um desempenho sólido", comemorou Djokovic, que ganhou os quatro confrontos da história diante de Hurkacz.

"Estava mais quente hoje, mesmo nas últimas duas horas desde o aquecimento, e o salto da bola aumentou dois metros. Hubi é alto e com sua rotação nesta altitude, salta muito alto, então eu estava de pé na quadra, tentando misturar as coisas. Coloquei pressão em seu primeiro saque. Demorou para nós dois nos ajustarmos e o segundo set eu acho que foi de melhor qualidade."

TORCIDA ILUSTRE

Finalistas da Liga dos Campeões, os jogadores do Real Madrid acompanharam na quadra o esperado duelo entre Nadal e Alcaraz. Sob olhares de Vinícius Jr., Kroos e Modric, Alcaraz comprovou o bom momento e mesmo após torcer o tornozelo, avançou com 6/2, 1/6 e 6/3.

Alcaraz começou com tudo e já quebrando o saque de Nadal. A devolução foi imediata, mas ele levaria a melhor novamente no terceiro game. Repetiria a dose no sétimo game e, sacando com 5 a 2, fechou sem esboço de reação do experiente rival.

O segundo set começou com Nadal mais concentrado em busca da reação. Fez 1 a 0 e teve três chances de quebra para abrir 2 a 0. Não conseguiu, mas assim o fez na quarta parcial. Alcaraz parou para atendimento no tonozelo quando o oponente estava a um ponto de fazer 4 a 1 (40 a 15). Voltou, mas com dificuldade, foi presa fácil e levou 6/1.

A decisão viria no terceiro set. E Alcaraz provou que estava inteiro com o retorno da mobilidade e da agressividade. Com uma quebra, abriu logo 4 a 1. E fechou em 6/3 no primeiro match point.