ESPORTES

min de leitura

São Paulo supera Everton nas jogadas aéreas, ganha a 2ª na Sul-Americana e lidera

(via Agência Estado)

| Edição de 14 de abril de 2022 | Atualizado em 14 de abril de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Com uma atuação apenas regular, com dificuldades na criação de jogadas, o São Paulo usou a bola parada para vencer o Everton, por 2 a 0, nesta quinta-feira, pelo Morumbi, pela segunda rodada da Copa Sul-Americana. Os gols, feitos após cruzamentos na área, foram do zagueiro Arboleda e do meia Talles.

A vitória deixa o time do Morumbi numa situação confortável no Grupo D com seis pontos em dois jogos. O segundo colocado da chave, o Ayacucho, tem três. Só o campeão de cada chave se classifica.

O destaque do jogo foi o zagueiro equatoriano, que abriu o placar no primeiro tempo, como centroavante, fazendo o seu segundo gol na competição - ele já havia aberto o placar na vitória diante do Ayacucho, na semana passada. Além disso, ele salvou um gol do time chileno após falha na saída de gol de Volpi ainda no primeiro tempo.

Rogério Ceni continuou o planejamento de usar uma equipe reserva na Copa Sul-Americana, para "rodar" o elenco. Ele começou o jogo com os reservas e foi escalando os titulares no segundo tempo. O trio ofensivo, por exemplo, foi formado por Toró, Talles e Juan, todos das categorias de base.

Foi um jogo amarrado no meio-campo que exigiu paciência do São Paulo. Faltou velocidade para furar o bloqueio do rival. Também faltou entrosamento para o time alternativo. A alternativa foi a bola parada. Uma boa chance surgiu da cobrança certeira de Reinaldo aos 22, mas que ninguém conseguiu finalizar. A bola cruzou o gol chileno.

Quando Reinaldo conseguiu outro cruzamento perigoso, dez minutos depois, o São Paulo abriu o placar. A defesa falhou e Arboleda marcou no Morumbi. Foi o segundo gol do equatoriano na competição - ele já havia aberto o placar na vitória diante do Ayacucho na semana passada.

Mesmo sem criar muito, o São Paulo conseguiu manter o controle do jogo. O time chileno adotou postura conservadora, apostando na ligação para o centroavante Lucas Di Yorio, argentino de 1,90m, autor do gol do empate por 1 a 1 contra o Jorge Wilstermann na estreia. A única boa jogada construída pelos visitantes foi um chute de longe de Cuevas que Volpi espalmou.

A melhor chance dos chilenos nasceu em uma falha na saída de gol de Volpi. Ele perdeu a dividida com Di Yorio e permitiu que o atacante finalizasse com o gol vazio. Arboleda salvou quase em cima da linha. Falha grave que evidenciou a insegurança do reserva. Ele só foi escalado nesta quinta-feira depois que Jandrei sofreu uma indisposição antes da partida. Como o regulamento da Conmebol não permite mudança após a divulgação da súmula, feita 1h30 antes do jogo, o São Paulo jogou sem goleiro reserva.

Após o gol, o São Paulo recuou, armando a estratégia do contra-ataque. O recuo, no entanto, foi excessivo. O time chileno chegou com perigo com um chute aos 20. Desta vez, Volpi foi bem e espalmou. O jogo ficou perigoso.

A tranquilidade só veio aos 42 do segundo tempo, quando Talles definiu o placar após escanteio e fez seu primeiro gol na equipe profissional.

FICHA TÉCNICA

SÃO PAULO 2 x 0 EVERTON

SÃO PAULO: Volpi; Igor Vinicius, Arboleda, Miranda e Reinaldo (Calleri); Luan (Sara), Igor Gomes, Talles; Toró (Patrick), Luciano (Nestor) e Juan (Rigoni). Técnico: Rogério Ceni.

EVERTON: De Paul; Campos (Medina), Barroso, Oyarzún e Ibacache; Sánchez, Berríos, Madrid (Campos) e Echeverría; Cuevas e Di Yorio. Técnico: Francisco Meneghini.

GOLS: Arboleda, aos 30 minutos do primeiro tempo; Talles, aos 42 do segundo.

CARTÕES AMARELOS - Arboleda) e Igor Gomes (São Paulo0 e Barroso, Oyarzún e Talles (EVERTON).

ÁRBITRO: Pablo Echavarría (ARG).

RENDA: R$ 878.265,00.

PÚBLICO: 30.307 presentes.

LOCAL - Morumbi.