GERAL

min de leitura

Fórum no Rio de Janeiro debate Plano Estadual de Museus

Alana Gandra - Repórter da Agência Brasil (via Agência Brasil)

| Edição de 09 de junho de 2022 | Atualizado em 09 de junho de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Após dois anos de pandemia, as direções dos museus fluminenses se reúnem presencialmente para discutir ferramentas para aumentar a visitação nos 350 espaços do estado, no Fórum Estadual de Museus, que começou hoje (9) e vai até amanhã (10), no auditório do Museu de Arte do Rio (MAR).

Imagem ilustrativa da imagem Fórum no Rio de Janeiro debate Plano Estadual de Museus
Imagem ilustrativa da imagem Fórum no Rio de Janeiro debate Plano Estadual de Museus

A superintendente de Museus da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio de Janeiro (Sececrj), Lucienne Figueiredo, disse à Agência Brasil que para atrair maior número de público para os museus fluminenses é preciso, primeiro, potencializar os museus.

“Para aumentar a visitação, você precisa também ter atividades, uma programação atrativa, equipes treinadas, investimentos”. Defendeu ainda a requalificação ou reforma dos museus. “Uma repaginada na instituição. Isso é importante: investimento nos museus”. Luciene quer ampliar também o número de parceiros privados, por meio de editais.

O fórum discute o Plano Estadual de Museus e apresenta iniciativas e parceiros vinculados aos oito eixos da política pública estadual, que incluem, além da Preservação e Democratização de Memórias e Acervos, a Formação e Capacitação; Economia dos Museus; Gestão Museal; Difusão e Comunicação; Educação, Pesquisa e Produção de Conhecimento; Redes; e Sistemas.

Treinamento

A superintende explicou que o Plano Estadual de Museus funciona como uma cartilha para os equipamentos. “Tudo que a gente pensa para os museus está ali: potencializar as equipes, articular as redes de parcerias, preservação dos acervos, modernização dos museus. Na verdade, a gente não precisa, neste momento, inventar nada de novo. A gente quer garantir que o nosso plano setorial seja realmente executado para enfrentar um ano de mudança de governo. E a gente precisa dar continuidade ao que foi pactuado no campo da museologia nos fóruns anteriores”.

O Rio de Janeiro conta com 350 museus espalhados pelos 92 municípios do estado, incluindo os museus comunitários. A superintendente disse que até aqueles que estão bem fisicamente gostariam de renovar as exposições, fazer uma reserva técnica mais atualizada, “assim como qualquer edificação precisa de manutenção e atualização e recursos de profissional da área”.

Mapeamento

A secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa, Danielle Barros, disse que a intenção, a partir das discussões, é mapear as linhas de ações dos museus no estado. Segundo ela, o objetivo do fórum será apresentar e reavaliar, com base na Política Estadual de Museus, programas, projetos e ações que os museus fluminenses vêm desenvolvendo em suas instituições nos últimos anos, em especial para atualizar informações devido à falta de encontros presenciais em função da pandemia.

“Nesse ano, especificamente, vamos revisitar o plano setorial através das iniciativas de instituições de referência, incluindo entidades e grupos do interior e locais periféricos, para debater o assunto. A partir desta programação, vamos mapear as linhas de ações dos museus no estado. Nesse ano, especificamente, vamos revisitar o plano setorial através das iniciativas de instituições de referência, incluindo entidades e grupos do interior e locais periféricos, para debater o assunto”.

O fórum está sendo transmitido pelo canal do Youtube do programa de pós-graduação em Museologia e Patrimônio da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (Unirio).