GERAL

min de leitura

PM é morto a tiro em confronto com criminosos em favela no Rio

Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil (via Agência Brasil)

| Edição de 06 de dezembro de 2022 | Atualizado em 06 de dezembro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O sargento do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) da Polícia Militar, Ângelo Rodrigues de Azevedo, de 48 anos, foi morto hoje à tarde (7) com um tiro na cabeça na comunidade Bateau Mouche, na Praça Seca na zona oeste do Rio, onde traficantes de drogas e milicianos se enfrentam há vários dias pelo domínio da região. 

O militar foi levado às pressas para o Hospital Estadual Getúlio Vargas, na Penha, mas não resistiu ao ferimento disparado de um fuzil. De acordo com a assessoria da PM, equipes do Bope foram atacadas a tiros na área de mata da comunidade, durante uma ação que visava reprimir a circulação de criminosos na região. Houve intenso confronto e o policial foi atingido.

O sargento estava na corporação desde 2000 e deixa esposa e três filhos. Ainda não há informação de hora e local do enterro.

A região da Praça Seca é formada pelas comunidades da Rua Barão, Bateau Mouche e Chacrinha. O Centro de Operações Rio, da prefeitura, orienta os motoristas a evitarem a região, por causa do fechamento parcial da Rua Cândido Benício, na altura da estação do BRT. Moradores colocaram fogo em lixo e pedaços de paus e o clima continua tenso no local. Equipes do Bope continuam vasculhando a área de mata fechada a procura dos criminosos.

Em nota, a Secretaria de Estado de Polícia Militar lamentou a morte do sargento Azevedo.