POLÍTICA

min de leitura - #

Amuvi volta a discutir construção de hidrelétricas no Vale do Ivaí

Edison Costa

| Edição de 14 de outubro de 2022 | Atualizado em 14 de outubro de 2022
Imagem descritiva da notícia Amuvi volta a discutir construção de hidrelétricas no Vale do Ivaí

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

AAssociação dos Municípios do Vale do Ivaí (Amuvi) marcou reunião para o próximo dia 22, às 10 horas, no Salão de Eventos do Distrito de Porto Ubá, em Lidianópólis. Segundo o presidente da Amuvi, prefeito Luiz Carlos Gil (PSD), de Ivaiporã, o encontro é para avaliar um projeto de construção de usinas hidrelétricas no Rio Ivaí, já aprovado no âmbito da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel).

Para este encontro em Porto Ubá estão sendo convidados todos os prefeitos que integram a Amuvi, vereadores, representantes dos pescadores, proprietários rurais e demais lideranças políticas e comunitárias da região.

De acordo com Carlos Gil, o projeto da Aneel prevê a construção de quatro a cinco pequenas usinas hidrelétricas na extensão do Rio Ivaí, basicamente na região dos municípios de Lidianópolis, Borrazópolis, Grandes Rios, Jardim Alegre e São Pedro do Ivaí. Ele salienta que já foi procurado por prefeitos, proprietários rurais e representantes de pescadores profissionais, entre outros, para discutir esse assunto. Alguns donos de sítios e fazendas informaram que técnicos e engenheiros já passaram por lá fazendo medições, avaliações de vazão e de solos e levantando o custo das terras. 

Conforme assinala, todos se manifestam contra a instalação desses empreendimentos, temendo a inundação de terras agricultáveis, pastagens e moradias ribeirinhas e o prejuízo ambiental que isso trará para toda a região.

“Vamos promover essa audiência pública para debater e ver o que é melhor para o Vale do Ivaí”, explica o presidente da Amuvi, salientando que a decisão sobre a instalação ou não dessas usinas será desta audiência em Porto Ubá, que também deverá ter a participação de representantes do Ministério Público e de organismos governamentais de defesa ambiental.

“Eu particularmente sou contra a instalação de usinas hidrelétricas no Rio Ivaí, porque o prejuízo ambiental será muito grande e elas não trarão nenhum benefício para os municípios”, destaca Carlos Gil. Ele observa que o Paraná já é suficiente na produção de energia elétrica e, inclusive, exporta energia para outros estados e até países vizinhos. No seu entender, o que é preciso estudar agora é a instalação de outras fontes de energia sustentável, que são mais viáveis e não causam prejuízos ao meio ambiente.

A possibilidade de instalação de hidrelétricas no Rio Ivaí já foi motivo de várias audiências públicas na região, com todas elas manifestando-se contrárias a esse tipo de empreendimento no principal rio que corta a região.