POLÍTICA

min de leitura

Após votar, Lula diz estar certo de que seu projeto será o escolhido

Daniel Mello - Repórter da Agência Brasil (via Agência Brasil)

| Edição de 30 de outubro de 2022 | Atualizado em 30 de outubro de 2022
Imagem descritiva da notícia Após votar, Lula diz estar certo de que seu projeto será o escolhido

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O candidato do PT à Presidência da República Luiz Inácio Lula da Silva votou, nesta manhã, na Escola Estadual Firmino Correia de Araújo, em São Bernardo do Campo (SP). Após votar, Lula disse ter convicção da vitória.

“Estou convencido que o povo brasileiro vai votar no projeto em que a democracia seja vencedora. Em um projeto que a participação popular na definição das políticas públicas seja vencedor”, disse.

Para Lula, os eleitores também vão levar em consideração as soluções propostas para a miséria e a fome no país. “Em um projeto que a gente possa resgatar as pessoas que estão com fome nesse país, que estão na rua, que estão pedindo esmola. A gente precisa resgatar e inseri-los em uma sociedade civilizada em que as pessoas possam tomar café, jantar, trabalhar, ter um salário, acesso à cultura, ao lazer. Ou seja, as pessoas viverem com cidadania, com toda a decência”, acrescentou.

O candidato disse ainda que, caso eleito, pretende fortalecer as relações multilaterais com os países da América do Sul. “A gente vai reconstruir o Mercosul [Mercado Comum do Sul], a Unasul [União de Nações Sul-Americanas], porque é muito importante essa instituição multilateral entre os países para troca de ideia do campo do comércio, da política, da cultura, do social. É muito importante que a gente aprenda uma lição: juntos nós somos muito fortes”, enfatizou.

Se for vitorioso nas eleições de hoje, Lula disse que fará, nos próximos dois meses, viagens não só aos países sul-americanos, mas também à China, à União Europeia e aos Estados Unidos. “Eu quero fazer uma viagem aos Estados Unidos para que a gente mostre que por mais divergências que a gente tenha, temos que entender a importância política dos Estados Unidos no mundo, sobretudo econômica”, destacou.

A valorização dos servidores públicos é outro ponto que o ex-presidente prometeu dar atenção. “Como você pode querer que os profissionais trabalhem dedicados, com muita amor, se estão há sete anos sem receber reajuste de salário”, questionou. Para ele, é preciso fazer uma recuperação gradual dos rendimentos das carreiras do Estado. “Uma remuneração justa de acordo com a excelência do trabalho que eles fazem”, defendeu.