POLÍTICA

min de leitura - #

Candidatos condenam atentado na Argentina

Da Redação

| Edição de 02 de setembro de 2022 | Atualizado em 02 de setembro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Candidatos à Presidência do Brasil condenaram nesta sexta-feira o atentado sofrido pela vice-presidente da Argentina, Cristina Kirchner.

Nesta quinta, ela cumprimentava apoiadores em Buenos Aires quando um homem brasileiro, identificado como Fernando Sabag Montiel, apontou uma em direção a ela e apertou o gatilho. O disparo, no entanto, falhou. O brasileiro foi preso pelas autoridades locais.

O presidente da Argentina, Alberto Fernández, decretou feriado nacional nesta sexta-feira. Segundo ele, a medida foi tomada para que “em paz e harmonia, o povo argentino possa expressar-se em defesa da vida, da democracia e solidarizar-se” com Cristina Kirchner.

Os candidatos Jair Bolsonaro (PL), Lula (PT), Ciro Gomes (PDT), Simone Tebet (MDB), Soraya Thronicke (União Brasil), Sofia Manzano (PCB), Léo Péricles (UP) e Felipe d’Avila (Novo) condenaram o atentado.

“O atentado frustrado a Cristina Kirchner por pouco não transforma em chuva de sangue a nuvem de ódio que se espalha pelo nosso continente”, afirmou Ciro Gomes.

“Toda a minha solidariedade à companheira @CFKArgentina, vítima de um fascista criminoso que não sabe respeitar divergências e a diversidade. A Cristina é uma mulher que merece o respeito de qualquer democrata no mundo”, disse Lula

“Eu lamento. Agora, quando eu levei a facada, teve gente que vibrou por aí. Lamento, já tem gente que quer botar na minha conta esse problema. E o agressor ali, ainda bem que não sabia mexer com arma. Se soubesse, teria sucesso no intento”, afirmou Bolsonaro.

“Violência política no Brasil, violência política na Argentina. É preciso dar um basta a tudo isso. Reafirmo minha posição pela paz na política, pela paz nas eleições”, disse Simone Tebet. (DAS AGÊNCIAS)