POLÍTICA

min de leitura - #

Cesar Silvestri se apresenta como uma alternativa à polarização

Da Redação

| Edição de 07 de abril de 2022 | Atualizado em 07 de abril de 2022
Imagem descritiva da notícia Cesar Silvestri se apresenta como 
uma alternativa à polarização

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O ex-prefeito de Guarapuava por duas gestões e ex-deputado estadual Cesar Silvestri Filho (PSDB), percorre o Paraná para consolidar sua pré-candidatura ao governo do Estado. E leva consigo o primeiro e maior desafio, que é o de quebrar a cultura de eleições polarizadas, que vêm se consolidando nos últimos anos. 

“Essa polarização faz as pessoas se acomodarem em suas visões ideológicas, e de repente passam a achar normal ter que aceitar ou escolher aquele que representar o menos ruim dos dois lados, o menos pior”, explica.

Para ele, a polarização entre dois “lados” é muito ruim para o Paraná. “Veja em nosso estado hoje, se não quebrarmos a polarização, teremos de um lado a absoluta irresponsabilidade de um lado e mentira do outro”, diz, referindo-se ao governador Ratinho Júnior (PSD), que vai a reeleição e a Roberto Requião (PT), que tenta o quarto mandato. “Quero apresentar ideias, soluções, diálogo para compreensão dos problemas reais que o Paraná enfrenta”.

E ele já cita o caso do pedágio para reiterar seu posicionamento. “Não dá para entrar nessa eleição sem pensar num dos temas mais importantes, que é o pedágio”, afirma. Segundo ele, a polarização “põe de um lado, quem mentiu no passado, ´ou abaixa ou acaba`, que é o Requião e a turma do PT, ou ficar com o Ratinho, que resolveu abrir as catracas com o fim dos contratos, numa ação midiática, e promoveu apagão em nossas rodovias, na prestação de serviços aos usuários”. 

Silvestri diz que o atual governo assumiu sabendo que tinha três anos para formular um novo modelo de pedágio. “E o governo decidiu não levar processo à frente antes da eleição. O governador não quer dizer onde serão as 15 novas praças de pedágio, não quer dizer onde será nova praça entre Apucarana e Londrina e não quer dizer o valor da tarifa, que ele já sabe que não será mais barata, conforme prometeu”.

“Será que o paranaense precisa ficar limitado a escolher entre esses dois mundos? Devemos procurar modelos que, de fato, atendam os interesses da população, sem megalomanias, sem promessas que, sabemos, não serão cumpridas. Penso que minha candidatura contribui para o processo, acho que vai ter espaço importante nessa eleição e em cima dessa lógica que vamos quebrar a polarização e chegaremos ao segundo turno”, raciocina.

Mais conhecido na região dos Campos Gerais, Silvestri procura se apresentar ao eleitorado de todo o Estado. Já acumula uma década de mandatos, tendo sido deputado estadual e prefeito, por dois mandatos. “Em dois mandatos de prefeito tive resultado positivo, com transformações administrativas e encerrei o segundo com quase 80% de aprovação e fiz o sucessor”. Cesar Silvestri Filho é filho do ex-deputado federal e ex-deputado estadual Cesar Silvestri e da atual deputada estadual de segundo mandato, Cristina Silvestri. Atuou pelo Cidadania, migrou para o Podemos e se filiou, ano passado, ao PSDB. 

Silvestri diz que é importante que gestor público faça coisas simples, do dia a dia. “A gente precisa de gestores com capacidade de entrega”, considera. “Olha a propaganda paga do governo. Repare que é tudo megalomaníaco, tudo maior da história, maior do mundo. Quando você olha a vida real, no entanto, percebe que nada disso tem reflexo direto na vida das pessoas, porque são coisas que não saem do papel, ficam no campo do anúncio”, critica.

Ele destaca que não tem apelo midiático projetos como o programa que criou para pequenos negócios na cidade, muito atingidos pela conjuntura econômica e agravados com a pandemia e suas consequências. Criou linhas de crédito subsidiadas para segmentos mais atingidos, como turismo, eventos e comunicação, setores do comércio. “Não vejo o governo tentando resolver isso no Estado, preocupado em aumentar a liquidez das empresas, em reavivar a economia. Isso traria benefícios diretos e imediatos a toda a população”. A entrevista completa está disponível no TNOnline  hoje, a partir do meio-dia.