POLÍTICA

min de leitura - #

Em evento no Paraná, Alvaro defende refundação da República

Editoria de Política

| Edição de 08 de junho de 2018 | Atualizado em 25 de janeiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O senador paranaense Alvaro Dias (Podemos) lançou na manhã de ontem sua pré-candidatura à Presidência da República em um tradicional restaurante de Curitiba. O evento reuniu cerca de 3 mil pessoas, das quais 283 prefeitos, 300 vereadores, três ex-governadores e lideranças políticas regionais.

Imagem ilustrativa da imagem Em evento no Paraná, Alvaro defende refundação da República


Em seu reduto eleitoral, onde chegou a fazer 77% dos votos na última eleição para o Senado, o parlamentar afirmou que busca, no Paraná, “uma unidade suprapartidária para ser exemplo para o País”.
Como proposta de campanha, Dias defendeu a refundação de República e um Estado unitário. “O estado supera divergências para somar em defesa do interesse local e nacional. A grande proposta que temos a oferecer é o pacto nacional, a união das pessoas de bem para a refundação da República. O Brasil está vivendo o caos, tragédia política, caos administrativo, desarrumaram as forças públicas, a crise econômica. Nós precisamos de unidade, de coesão, eliminar os extremismos para construir uma unidade nacional”, afirmou.
O pré-candidato afirmou que não tem alianças definidas para sua campanha. “Eu busco aderir a um projeto da nação. Aqueles que assimilarem a proposta da refundação da República – nós temos todos esses meses para desenhar isso – são bem vindos. Jamais vou aceitar qualquer ligação com aqueles que são defensores do atual sistema. Não acredito que o Brasil possa alcançar um índice de crescimento econômico com esse sistema corrupto”, argumentou.
Alvaro disse que, como presidente, vai rever o teto dos gastos estabelecido pelo governo e que Temer se tornou ‘cadáver político’
O pré-candidato defendeu um governo de centro e criticou a atual situação do país. “Creio que a divisão que devemos fazer é entre honestos e desonestos, entre bem intencionados e mal intencionados. Vamos eliminar os extremismos, se caminha à frente, nem à direita e nem à esquerda, só assim vamos ajudar o Brasil que está mergulhando em um oceano de infelicidades. São mais de 50 milhões de brasileiros a baixo da linha da pobreza”, disse.
“O Paraná tem uma oportunidade única de resgatar na política o lugar que merece. Apesar do nosso tamanho e importância, somos um Estado tímido na política e na representação - e, com essa candidatura à Presidência, isso tende a mudar”, afirmou Marcos Lumacoski, presidente do Movimento pró-Paraná.
Entre os apoiadores de Dias, estava também o Instituto Democracia e Liberdade (IDL), presidido por Edson Ramon, movimento suprapartidário que advoga por “democracia, economia de mercado, livre iniciativa, legitimidade do lucro e da propriedade privada e liberdade de imprensa”. “Há uma chance expressiva na candidatura do Alvaro. Temos que trabalhar para que sua votação expressiva se reflita no País”, disse Ramon.