POLÍTICA

min de leitura - #

Em nova nota, Defesa afirma que não excluiu risco

Estadão Conteúdo

| Edição de 10 de novembro de 2022 | Atualizado em 10 de novembro de 2022
Imagem descritiva da notícia Em nova nota, Defesa afirma que não excluiu risco

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, deu por encerrada a fiscalização do Ministério da Defesa no sistema eletrônico de votação. Ele indicou que o relatório apresentado nesta quarta, 9, pelos militares não terá desdobramento e o resultado da eleição será respeitado. Questionado por jornalistas sobre as providências que adotaria a partir do pedido das Forças Armadas de instauração de investigação urgente sobre as urnas, Moraes afirmou: “esse assunto já se encerrou faz tempo”. 

Ontem, uma segunda nota oficial foi divulgada pelo Ministério da Defesa que afirmou que a fiscalização realizada “não excluiu a possibilidade da existência de fraude ou inconsistência nas urnas eletrônicas e no processo eleitoral de 2022”.

“Por isso, o Ministério da Defesa solicitou ao TSE, com urgência, a realização de uma investigação técnica sobre o ocorrido na compilação do código-fonte e de uma análise minuciosa dos códigos que efetivamente foram executados nas urnas eletrônicas, criando-se, para esses fins, uma comissão específica de técnicos renomados da sociedade e de técnicos representantes das entidades fiscalizadoras”, diz a nota.

Para o TSE, no entanto, como não foi encontrada nenhuma irregularidade e o mesmo relatório aponta que votos registrados em boletins impresso pelas urnas coincidiram com os votos totalizados, não se fala em questionamento do resultado. (ESTADÃO CONTEÚDO)