POLÍTICA

min de leitura - #

Pacheco assume a Presidência da República

Da Redação

| Edição de 06 de maio de 2022 | Atualizado em 06 de maio de 2022
Imagem descritiva da notícia Pacheco assume a Presidência da República

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O presidente do Congresso Nacional, senador Rodrigo Pacheco (PSD-MG), assumiu a Presidência da República nesta sexta-feira. Ele ocupa o cargo por ser o próximo na sucessão presidencial, já que o chefe do Executivo, Jair Bolsonaro (PL), o vice-presidente Hamilton Mourão (Republicanos) e o presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP-AL), estão em viagem ao exterior.

Pelos próximos dias, Pacheco se torna responsável pelas decisões do Executivo. Bolsonaro seguiu viagem para Georgetown, na Guiana, para se reunir com o presidente do país, Mohamed Irlaan Ali. Os mandatários vão discutir a atualização da tabela de produtos com benefícios tarifários para a importação, que já foi firmada entre os países.

Mourão visita Montevidéu, no Uruguai, e deve retornar ao Brasil ainda neste sábado . Lira viaja para Nova York, nos Estados Unidos. As regras eleitorais não permitem que ambos assumam a Presidência da República neste momento, seis meses antes do pleito eleitoral, uma vez que são candidatos. Se assumirem a cadeira presidencial, Mourão e Lira poderão disputar apenas o Palácio do Planalto. O atual vice vai disputar o Senado pelo Rio Grande do Sul, e o presidente da Câmara, a reeleição como deputado federal.

Em entrevista coletiva nesta sexta-feira, Pacheco criticou a proposta do presidente Jair Bolsonaro de contratar uma empresa privada para fazer uma auditoria do processo eleitoral.

Para o senador, a responsabilidade pelas eleições é da Justiça Eleitoral e “não cabe” a outra instituição ou a uma empresa privada atuar sobre o processo eleitoral. “A responsabilidade pelo processo eleitoral cabe a uma Justiça especializada no Brasil, liderada pelo TSE, que tem uma estruturação Brasil a fora. A ela cabe a confiança dos brasileiros e da sociedade sobre a higidez do processo eleitoral, do processo de apuração das eleições. Não cabe a nenhuma entidade privada ou outra instituição a participação na contagem ou recontagem de votos porque esse é um papel da Justiça Eleitoral”, afirmou Pacheco. (DAS AGÊNCIAS)