POLÍTICA

min de leitura - #

Projeto popular quer manter sessões à noite em Arapongas

Fernando Klein

| Edição de 05 de julho de 2018 | Atualizado em 25 de janeiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Um projeto de iniciativa popular vai propor a manutenção das sessões ordinárias da Câmara de Arapongas às 20 horas nas segundas-feiras. A proposta tem como objetivo derrubar um projeto de resolução aprovado no dia 25 de junho, que alterou o horário para as 16 horas do mesmo dia e gerou polêmica na cidade. 

A ideia do projeto de iniciativa popular partiu do advogado Oduwaldo Calixto e rapidamente ganhou adesão de lideranças comunitárias e políticas de Arapongas. O prefeito Sérgio Onofre da Silva (PSC) foi o primeiro a assinar o abaixo-assinado defendendo a manutenção do horário às 20 horas. O presidente do Legislativo, Osvaldo Alves dos Santos (PSC), também é a favor da manutenção e deve assinar o projeto de iniciativa popular, juntamente com os outros seis vereadores que votaram contra a mudança no Regimento Interno da Casa: Paulo César Araújo (MDB), o Pastor do Mercado; Márcio Nickenig (PSB); Rubens Franzin Manoel (PP), o Rubão; Ademir Galo Esplendor (PDT), o Tico do Bar; e Levi Aparecido Xavier (PHS), o Levi do Handebol. 
A proposta foi aprovada por 8 votos a 5. Votaram a favor do projeto de resolução Adauto Fornazieri (PSC), Agnelson Galassi (PHS), Angélica Ferreira (PSC), a Angélica Enfermeira; Antônio Carlos Chavioli (PHS), popular Toninho da Saúde; Aroldo César Pagan (PHS), Cleide Bisca (PSDB), Miguel Messias (SD) e Reivaldo dos Santos (PTB), que assinaram a autoria do projeto. Fernando Henrique de Oliveira (PSDB), que também assinou autoria, decidiu se abster de votar. Osvaldinho, como presidente da Câmara, também não votou.

Imagem ilustrativa da imagem Projeto popular quer manter sessões à noite em Arapongas

Lucas Siqueira, que trabalha no escritório de Oduwaldo Calixto, explica que são necessárias 1.660 assinaturas, ou seja, 2% do eleitorado (82 mil eleitores), para apresentar um projeto de iniciativa popular na Câmara de Arapongas. Ele afirma que pastas para recolher assinaturas foram distribuídas em bairros da cidade e no próximo sábado uma mobilização será realizada na Praça da Igreja Matriz, das 10 às 13 horas, em busca de adesão à proposta popular. 
“A realização de sessões ordinárias no período da tarde prejudica a participação da população. As pessoas trabalham durante o dia e só podem acompanhar as sessões à noite”, pontua. 
Aproveitando o movimento para coletar assinaturas, outro projeto de iniciativa popular deve ser apresentado para também acabar com o recesso de julho. “Todo trabalhador tem direito a 30 dias de férias, mas os vereadores param 40 dias no final do ano e mais 31 dias em julho. Isso não é justo”, assinala Siqueira. 

“Vou colocar em votação”, diz presidente da Câmara
O presidente da Câmara de Arapongas, Osvaldo Alves dos Santos (PSC), o Osvaldinho, é contra a mudança do horário das sessões às segundas-feiras das 20 horas para as 16 horas, como foi aprovado no projeto de resolução no dia 25 de junho. Ele afirma que a proposta gerou muita polêmica na cidade, com reclamações da população. 
“Sempre disse que era contra essa mudança (no horário das sessões). Agora, os vereadores que propuseram esse projeto vão ter que arcar com o ônus político e responder à população”, diz. Ele afirma que vai colocar a proposta em pauta assim que a matéria de iniciativa popular for protocolada. “Acho que será aprovada. Os vereadores estão muito pressionados e não sei se votarão contra o povo de novo. As pessoas querem a sessão às 20 horas, porque é um horário que elas podem acompanhar. Mexeram numa coisa que não deviam”, completa. o presidente do Legislativo.