CIDADES

min de leitura - #

Apesar dos preços em alta, trigo perde área para o milho

Cindy Santos

| Edição de 08 de junho de 2022 | Atualizado em 08 de junho de 2022
Imagem descritiva da notícia Apesar dos preços em alta, trigo perde área para o milho

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Apesar da escalada internacional de preços, o plantio de trigo recuou nesta safra na região. Desde o ano passado, a cotação do cereal passou de R$ 82 a saca de 60 quilos para R$ 106, um aumento de 29,26%. Na área do Núcleo Regional da Seab de Ivaiporã, que abrange 15 municípios, a área de plantio de trigo ficou 27% menor. Em 2021 o trigo foi plantado em 76.000 hectares e nesta safra atinge 55.495 hectares.

Segundo o engenheiro agrônomo, Sergio Carlos Empinotti, a aposta do produtor no milho fez com que a área ao trigo reduzisse na regional. “A opção pelo milho se deve a demanda do grão no mercado que elevou os preços, aliada também a necessidade de melhorar a matéria orgânica do solo com a rotação de cultura. Com a ocorrência da estiagem que aconteceu no ano passado notou-se que faltava umidade no solo, por isso a rotação de cultura”, disse Empinotti. O aumento da área do milho é proporcional à queda do trigo. Nesta safra são 115 mil hectares, contra 91 mil da temporada anterior, aumento de 26%. Ontem, a saca de 60 quilos de milho estava cotada na região a R$ 80. “Os preços devem se manter no mercado. Mesmo com a esperada boa produção do milho, não será suficiente para suprir toda a necessidade da cadeia produtiva de aves e suínos”. 

Ainda segundo Empinotti, os bons preços do trigo estão relacionados a invasão russa à Ucrânia. “Os compradores tradicionais de trigo da Ucrânia não vão contar com aquele produto. Por isso o aumento do preço”, destacou. 

Na regional, 50% da área de trigo se encontra em estágio de perfilhamento e 50% pós germinação e em boas condições de lavoura, segundo o Deral. Já o milho se encontra majoritariamente em fase de frutificação, 30 % da área está em fase de floração, também apresenta boas condições de lavoura. 

Em condições climáticas normais a expectativa média de produtividade do trigo é de 145 sacas por alqueire. O milho a expectativa de colheita é de 242 sacas por alqueire, melhor que no ano anterior quando a média de produtividade foi de 201 sacas. 


Produção de milho pode ser três vezes maior 

Assim como ocorre na região de Ivaiporã, o trigo também perdeu espaço para o milho na área do Núcleo da Seab de Apucarana. Tanto que a estimativa do Departamento de Economia Rural (Deral) é de um crescimento de 7% na área plantada de milho que pode chegar a 55,6 mil hectares, contra os 51,7 mil hectares de 2021. Com o aumento da área, o Deral projeta uma produção de 337 mil toneladas na safra inverno, quase três vezes maior do que as 115 mil toneladas colhidas no ano passado.

“Este ano, ao contrário do que ocorreu no ano anterior, as condições climáticas têm sido favoráveis para o bom desenvolvimento das plantas. Até o momento, as lavouras encontram-se predominantemente na fase de frutificação e as chuvas ocorridas nas últimas semanas foram benéficas para a formação e enchimento de grãos”, informa o técnico do Deral, Adriano Nunomura.

Enquanto as lavouras de milho expandem, as de trigo recuam. Para esta safra de inverno o Deral projeta área plantada em torno de 40 mil hectares contra 47 mil hectares safra anterior, uma redução em torno de 15%. “A maior parte que era trigo foi substituída pelo milho 2º safra e aveia este ano”, comenta Nunomura. (CINDY SANTOS)