CIDADES

min de leitura - #

Caminhões-pipa abastecem Mauá após colapso em poço

Fernanda Neme

| Edição de 04 de agosto de 2022 | Atualizado em 04 de agosto de 2022
Imagem descritiva da notícia Caminhões-pipa abastecem Mauá após colapso em poço

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Após colapso em poço artesiano de Mauá da Serra, oito caminhões-pipa trabalham dia e noite desde o domingo (31) para abastecer a população da cidade. A Sanepar informou que está antecipando a interligação de um novo poço para tentar restabelecer o abastecimento na integralidade.

O problema no poço ocorreu durante um conserto realizado no local. Os filtros se romperam e o poço começou a arrastar muita areia.

Segundo o prefeito de Mauá da Serra, Hermes Wicthoff, na última semana foram realizadas três reuniões com a Sanepar, pois estava tudo pronto para que o novo sistema de distribuição de água seja implantado. “Foram investidos mais de R$ 6 milhões neste novo sistema de tratamento. Antes o sistema distribuía 350 mil litros de água. Com o novo sistema, a cidade seria abastecida com 1 milhão e 50 mil litros de água”, explica.

De acordo com a assessoria da Sanepar, o rompimento dos filtros e tubulações do poço que vinha atendendo a cidade inviabiliza a operação e exige uma manutenção ainda mais complexa para a sua recuperação. Isto será viabilizado nos próximos meses, por meio de processo licitatório.A assessoria da Sanepar explica que o novo poço já estava em fase final para ser interligado no sistema. Para amenizar a situação do desabastecimento em Mauá da Serra, a Sanepar está realizando, entre hoje e amanhã, a instalação de estruturas provisórias. Tratam-se de unidades tratamento e de distribuição que serão, em seguida, readequadas conforme operacionalização do sistema como um todo.

A previsão é que a interligação do novo poço seja viabilizada até hoje. Os caminhões estão abastecendo os reservatórios da Sanepar e de clientes como unidades de saúde, creches e escola. A Sanepar pede para que a população economizar água. (FERNANDA NEME)