CIDADES

min de leitura - #

CÃO AMIGO

Claudemir hauptmann

| Edição de 05 de agosto de 2022 | Atualizado em 05 de agosto de 2022
Imagem descritiva da notícia CÃO AMIGO

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A Polícia Militar do Paraná, que há muitos anos usa dezenas de cães treinados para apoio às operações de patrulha, inclusive de combate ao tráfico de drogas, está iniciando um projeto inédito, a partir de iniciativa do comando do 10º Batalhão de Polícia Militar, de Apucarana. Um novo membro da corporação, um filhote da raça pastor australiano, está sendo treinado para basicamente aproximar a polícia da comunidade, mais especificamente, da comunidade mirim. O cão vai atuar como parte do trabalho de apoio emocional e terapia ocupacional com as crianças das Apaes em toda a área de atuação do batalhão e também em visitas às escolas das redes pública e privadas.

Embora ainda esteja em fase de socialização e adestramento, o cão, de nome Deppy, já vem fazendo sucesso com a criançada. Com apenas um mês de adaptação à nova casa, o 10º BPM, ele já fez duas visitas, às Apaes de Cambira e de Jandaia do Sul. “Ele já está trabalhando e trazendo muita alegria para nós. A gente vê, com professores que trabalham nas Apaes, que as crianças têm comportamentos que não tinham normalmente sem a presença do cão. Isso traz muita felicidade para a gente”, diz o tenente Thiago Mendes, um dos oficiais envolvidos no projeto, idealizado pelo comando do Batalhão, a partir da doação do filhote.

O oficial explica que Deppy não vai trabalhar com detecção de drogas e nas ações de patrulhamento, trabalho normal dos cães da PM. “Ele é um cão específico para trabalhar com as crianças”, explica o tenente Thiago. Ele destaca que a PM sempre utilizou outros cães no chamado “duplo emprego”, ou seja, atuam nas operações policiais diversas e também nas relações públicas com a comunidade. Mas Deppy é o primeiro, do Canil do 10º BPM e da própria PM do Paraná, a atuar exclusivamente no projeto “Cão Amigo”.

A tutora de Deppy no projeto é a cabo PM Geise Eli Sorci Barbosa, que é pedagoga e tem formação específica para o trabalho com crianças com necessidades especiais. Deppy convive com a cabo Geise 24 horas por dia, indo diariamente para casa com ela. No batalhão, durante o expediente, Deppy vem sendo treinado com alguns comandos e até aprendendo alguns truques e brincadeiras para a interação com as crianças nas escolas e nas Apaes.

Geise destaca que Deppy é basicamente um apoio emocional para as crianças de clínicas e das Apaes. “Cada uma delas tem suas características pessoais. Nós não interferimos na parte pedagógica ou terapêutica dos profissionais que atendem a essas crianças. Nós simplesmente somos um apoio a mais em atenção a essas crianças”, explica a policial militar.

A cabo tutora de Deppy assinala que tudo é novo, já que se trata de um projeto inédito para a corporação no Paraná. “É o primeiro cão amigo da PM do Paraná. A gente está começando esse projeto. Então, estamos aprendendo juntos, nós da PM e os profissionais das Apaes. Mas o que a gente já pôde ver, nas visitas de Cambira e de Jandaia do Sul, é que as crianças já chegaram no Deppy, abraçaram ele e até chegaram a deitar em cima dele. É maravilhoso, eu estou encantada”, concluiu. (COM REPORTAGEM LIS KATO)