CIDADES

min de leitura - #

Casa das Fraldas pede apoio da comunidade

Da Redação

| Edição de 27 de julho de 2022 | Atualizado em 27 de julho de 2022
Imagem descritiva da notícia Casa das Fraldas pede apoio da comunidade

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Um batalhão de voluntários, formado por membros da comunidade, coloca para funcionar, quatro vezes por semana, uma fábrica de fraldas solidária que beneficia mais de 200 famílias em Ivaiporã. Toda a produção, que chega a cerca de 5 mil unidades todos os meses.  é repassada gratuitamente para pessoas necessitadas do município que fazem o cadastro na Casa das Fraldas. 

Hoje são 240 famílias inscritas  que retiram as fraldas durante a semana.

De acordo com o voluntário, Paulo Cardoso de Oliveira, que trabalha nas segundas-feiras, das 9 às 12 horas, preparando as mantas para a confecção das fraldas, o trabalho é realizado há cinco anos e é uma iniciativa da Fundação Beneficente de Ivaiporã, que administra a Casa das Fraldas, disponibiliza todo o suporte necessário para a atuação ao grupo de voluntários.

Nas terças e quintas-feiras o trabalho é realizado pelas equipes, estudantes, clubes de serviços, empresários, funcionários de empresas e integrantes de movimentos religiosos. “Inclusive, temos uma equipe de voluntários do asilo. Na semana que eles trabalham, eles levam as fraldas confeccionadas para os idosos do próprio asilo”, explica.

Segundo o voluntário Herivelto Martins Galves, a fabricação é relativamente simples de ser executada, e o resultado é gratificante. “Vale a pena contribuir e ajudar”. 

Mesma sensação compartilhada com o voluntário Adir Martins Costa. “É muito Bom estar aqui”.

A fundação é formada por um grupo de amigos, além de alguns empresários da cidade que fazem a doação de recursos. Em média são arrecadados cerca de R$ 4 mil por mês para compra da matéria-prima. 

“A cada 90 dias fazemos compra de R$ 12 mil de materiais para a confecção das fraldas. Não tem salário, nem verba de governos é tudo comprado com essa arrecadação. O problema é que nos últimos tempos subiu muito o preço da matéria prima. Inclusive, agora o material está acabando e não temos a verba total para pedir uma outra remessa para continuar trabalhando”, destaca Cardoso.

Quem tiver interesse e quiser contribuir financeiramente com a Casa das Fraldas ou dedicar algumas horas ao voluntariado, pode manter contato com o presidente da fundação José Carlos Pinto, através do celular (43) 9 9916-9495 ou diretamente com o coordenador do projeto da Casa das Fraldas, Marco Aurélio Paiva Lousada todas as terças, quartas e quintas-feiras das 18 às 20 horas na Casa das Fraldas.