CIDADES

min de leitura - #

Empregos temporários suprem mão de obra afastada por Covid

DA REDAÇÃO

| Edição de 27 de janeiro de 2022 | Atualizado em 17 de fevereiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O afastamento de funcionários com Covid-19 fez crescer a demanda por empregos temporários em Apucarana. Levantamento da Agência do Trabalhador mostra que das 243 novas vagas abertas em janeiro deste ano, 90 (37%) são provisórias e a maioria para suprir a necessidade defasagem de mão de obra na indústria do vestuário. 

A presidente do Sindicado das Industrias do Vestuário de Apucarana e do Vale do Ivaí (Sivale), Elizabete Ardigo, já havia adiantado em entrevista recente à Tribuna do Norte que seria necessário abrir vagas temporárias no setor. A empresária, que é proprietária de uma fábrica de confecção, informou que seis funcionários estão afastados e que tem vagas para 20 novos colaboradores, sendo 10 temporários.
“Teve uma empresa que até fechou as portas porque estava com 25 colaboradores afastados.  Mas essa semana parece que vai normalizar um pouco. Mas temos um feriado novamente e isso colabora para que os casos subam muito”, comenta.
A empresária ressalta que as vagas temporárias são importantes porque as empresas não podem interromper o serviço e precisam cumprir prazos de entrega.
O gerente da Agência do Trabalhador, Neno Leiroz, afirma que o número de vagas temporárias superou a marca atingida em todo o mês de dezembro. Além dos afastamentos de colaboradores com Covid, Leiroz também aponta que muitas empresas estão ampliando a produção, investindo em maquinários o que requer uma ampliação do quadro de funcionários. 
“Temos 680 vagas disponíveis hoje, sendo 243 abertas somente em janeiro, com aproximadamente 90 temporárias. A indústria do vestuário é o setor que mais está contratando. E segundo os empresários, o objetivo é efetivar esses funcionários temporários”, assinala. 
Do total de vagas em aberto na agência, a maior parte é para o setor de confecções. O cargo com maior oferta é o de costureira em série (83), seguido por auxiliar de acabamento (34), auxiliar de produção (28) e operador de bordado (23).