CIDADES

min de leitura - #

Nova onda fria faz prefeituras reativarem abrigos emergenciais

Da Redação

| Edição de 10 de junho de 2022 | Atualizado em 10 de junho de 2022
Imagem descritiva da notícia Nova onda fria faz prefeituras reativarem abrigos emergenciais

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Com nova queda nas temperaturas prevista para este final de semana, as prefeituras da região estão intensificando as ações de acolhimento das populações em situação de rua. Em Apucarana, Arapongas e Jandaia do Sul, os abrigos emergenciais para pernoite deste público também foram retomados.

Em Apucarana, o acolhimento acontece nas dependências do Centro da Juventude Alex Mazaron. A busca ativa teve início já na manhã desta sexta-feira e a previsão é que o serviço emergencial atenda cerca de 20 pessoas por dia até que a onda de frio acabe. Além da acomodação para poernoite, o serviço municipal oferece alimentação (café da manhã, almoço e janta) e espaço para higienização pessoal e de roupas.

O prefeito Junior da Femac, que acompanha de perto o trabalho da equipe da assistência social para proteger do frio a população de rua, assegura que nos dias de temperaturas mais baixas neste inverno “nenhuma pessoa vai ficar sem um lugar seguro e quente para dormir.”

Em Jandaia do Sul, o serviço Acolhe Jandaia é acionado sempre que a temperatura estiver abaixo dos 10 graus, recebendo moradores de rua com estrutura adequada e organizada na Rua Clementino Puppi, ao lado da Farmácia Municipal.

Já em em Arapongas, a Secretaria de Assistência Social (Semas) reabriu o abrigo emergencial na estrutura do Sesi, na Avenida Maracanã, 3260. O abrigo emergencial vai fazer o acolhimento (pernoite), a partir das 18 horas; de sexta a segunda-feira. Ao todo, 40 vagas serão disponibilizadas. A população terá acesso a banhos; alimentação; dormitórios; café da manhã. Durante o dia, serão encaminhados para o Centro Pop. 

A Semas está com uma campanha para que a população não dê bebidas alcoólicas para pessoas em situação de rua. “É fato que substâncias entorpecentes camuflam a sensação de frio e fome, mas não as fazem desaparecer. O que acontece é que, ao consumir bebidas alcoólicas, a sensação pode até ser de calor, mas a real temperatura do corpo diminui, pois, o álcool provoca o suor, que resfria o corpo. Esse efeito do consumo de álcool em tempos de baixas temperaturas pode deixá-los mais vulneráveis a desenvolver hipotermia”, explica a secretária da pasta, Ismailda Ferreira de Lima da Silva.