CIDADES

min de leitura - #

Produção de tilápia ganha espaço e tem crescimento de 60% no Vale do Ivaí

Fernando Klein

| Edição de 13 de janeiro de 2023 | Atualizado em 13 de janeiro de 2023
Imagem descritiva da notícia Produção de tilápia ganha espaço e tem crescimento de 60% no Vale do Ivaí

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Principal peixe de cultivo do Paraná, a tilápia vem ganhando espaço nos municípios da região. Em cinco anos, a produção aumentou de 681 toneladas para 1.095 toneladas, um aumento de 60,8%. A movimentação financeira foi ainda maior, com alta de 141,5%. Foram R$ 3,2 milhões em 2017 contra R$ 7,8 milhões em 2021. Os dados são do Valor Bruto de Produção (VBP), indicador utilizado pela Secretaria de Estado de Agricultura e Abastecimento (Seab) para medir a riqueza agrícola e agropecuária do Estado. 

São 22 municípios produtores desse peixe na região, com principal destaque para São João do Ivaí, que passou de 220 toneladas em 2017 para 450 toneladas em 2021, último VBP disponibilizado pela Seab. A movimentação financeira subiu de pouco mais de R$ 1 milhão para R$ 3,2 milhões no período. 

O resultado positivo de São João do Ivaí é reflexo dos investimentos feitos no município, que ganhou recentemente um frigorífico de peixes, o Mais Fish. O empreendimento é responsável por colocar no mercado entre 20 e 30 toneladas de carne de tilápia a cada mês. 

O frigorífico é o primeiro do gênero no país a obter a certificação do Sistema Brasileiro de Inspeção de Produtos de Origem Animal (Sisbi-POA). O reconhecimento foi obtido por meio do consórcio CidCentro, que reúne 30 municípios da região central do estado. Com o selo, que corresponde ao SIF, os produtos do frigorífico passaram a poder ser comercializadas em todo o território brasileiro. Até então, a produção estava restrita aos municípios pertencentes ao consórcio. 

O frigorífico, que fica nas proximidades do distrito de Ubaúna, está finalizando dois projetos de expansão para este ano. Além de ampliar o prédio da unidade, o empreendimento vai implantar uma estação de peixes juvenis, internalizando uma das últimas etapas do processo em que a empresa ainda depende da produção de fornecedores externos.

O empreendedor Mateus Silva Ignácio estima que a produção do frigorífico tenha crescido perto de 40% desde que conseguiu a certificação Sisbi-POA em fevereiro de 2021. Embora o frigorífico -que mantém uma área de 3 alqueires de lâmina d´água - seja um empreendimento relativamente novo, a história da produção de peixes na família já tem 30 anos. “Começamos lá atrás, com o foco de produzir peixe para pesque-pague”, relembra.

Atualmente, o frigorífico prepara seus dois novos projetos de expansão e aposta no uso de tecnologias modernas em todos os processos produtivos, desde o manejo da água, a alimentação dos peixes, produção extensiva, melhoria genética, até a industrialização.

Outros destaques regionais na produção de tilápia são Sabáudia, com uma produção de 127 toneladas e movimentação financeira de R$ 908 mi, e São Pedro do Ivaí (100 toneladas e R$ 715 mil, respectivamente). Veja os demais municípios no gráfico. 

Piscicultura vive momento de crescimento 

O engenheiro agrônomo Sérgio Carlos Empinotti, do Departamento de Economia Rural (Deral), do Núcleo Regional da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento (Seab), de Ivaiporã, afirma que a piscicultura, especialmente a produção de tilápia, está em alta. Segundo ele, a produção desse peixe – que ganhou o gosto dos consumidores - ajuda a complementar a renda nas pequenas propriedades rurais e não exige alto investimento. “Houve um incentivo muito grande para esse setor. Além disso, há uma grande demanda por esse produto e os preços altos também são um atrativo”, avalia Empinotti.O engenheiro agrônomo afirma ainda que é um mercado com grande potencial de crescimento. “A produção de tilápia começou principalmente nos pesqueiros, mas com o incentivo da Emater e de outros órgãos houve um aperfeiçoamento da produção, como é o caso de São João do Ivaí, com a inauguração de um frigorífico próprio”, acrescenta. O Paraná é o maior produtor de tilápia do Brasil, com182 mil toneladas em 2021. A segunda colocação é de São Paulo, com 76.140 toneladas, segundo levantamento é da Associação Brasileira de Piscicultura (PeixeBR), que congrega produtores, empresas da cadeia produtiva e entidades de classe. O Paraná também tem registro de cultivo de 3,8 mil toneladas de peixes nativos, além de 2,2 mil toneladas de outras espécies, sobretudo carpas, trutas e pangas.