CIDADES

min de leitura - #

Programa Portas Abertas atinge 2,3 mil capacitados em Apucarana

Da Redação

| Edição de 22 de novembro de 2022 | Atualizado em 22 de novembro de 2022
Imagem descritiva da notícia Programa Portas Abertas atinge 2,3 mil capacitados em Apucarana

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Desde que foi criado em meados do ano passado dentro de um plano de incentivo à empregabilidade e eficiência em negócios, o Programa Portas Abertas já capacitou 2.382 pessoas em Apucarana. Neste período, o município disponibilizou gratuitamente para a população cerca 80 cursos, em diversas áreas, somando um investimento de R$ 1,3 milhão. As opções foram definidas após diálogo com o setor produtivo, que apontou as principais necessidades. 

As qualificações são ofertadas em várias frentes. Além das vagas ofertadas no Centro de Qualificação Total em cursos adquiridos junto ao Senai, Senac, Sesc e Sebrae, parcerias com outros programas fomentam a capacitação, caso do Brasil Mais e o Jovem Aprendiz. “Além disso, o Município criou o pré-aprendiz e, acolhendo sugestão do juiz Maurício Mazur, o Programa de Aprendizagem Profissional na Administração Pública Municipal (Aprende)”, cita Junior da Femac.

O prefeito ressalta que todas essas iniciativas abrangem desde o primeiro emprego até trabalhadores e empreendedores. “A oportunidade de capacitação é oferecida para todos. Exemplo disso é o curso de auxiliar de pedreiro que está sendo ministrado nas dependências da Casa de Misericórdia. É uma porta que se abre, para quem atualmente está sendo acolhido na casa, para mudar a sua vida”, frisa.

Além dos R$ 1,3 milhão de recursos próprios que são investidos na aquisição dos cursos, o Município também busca firmar parcerias para garantir mais vagas. “Para fechar o ano de 2022, conseguimos trazer para Apucarana a unidade móvel do Senai. Trata-se de um contêiner, onde estão sendo ministrados de forma gratuita cursos de qualificação”, pontua Junior da Femac, lembrando que em meados deste ano Apucarana também recebeu o ônibus itinerante do Programa Recomeça Paraná. “Esta ação, entre outros serviços, ofereceu a capacitação remunerada para desempregados, ou seja, a pessoa recebeu até R$ 900 para fazer um curso na área de empreendedorismo”, completa Junior da Femac.

Programa também atende empregadores

O secretário municipal de Indústria, Comércio e Emprego, Edison Estrope, afirma que o “Portas Abertas” foi concebido para atender os diversos públicos. “Entre eles estão os empresários, que foram contemplados com o Programa Brasil Mais. O Município adquiriu cotas e o curso de manufatura enxuta foi ofertado gratuitamente, capacitando empreendedores, executivos, gerentes e colaboradores. A mentoria chegou a 35 empresas, registrando um aumento médio de produtividade de 40% e evitando desperdícios”, assinala Estrope.

Miguel Luiz Vilas Boas, diretor de Centro de Qualificação Tota afirma que estão sendo encaminhados para o mercado de trabalho jovens entre 14 e 24 anos, através dos programas Jovem Aprendiz, Pré-aprendiz e Aprende, que somam 400 alunos.

De acordo com ele, o Município elaborou um calendário de cursos de forma didática e que está disponível no site da Prefeitura. “Quase todos os cursos do calendário deste ano já foram encerrados, restando apenas para serem concluídos os da unidade móvel do Senai, que são os de eletricidade residencial e predial, costura industrial e de refrigeração e instalação de ar-condicionado, além do curso de auxiliar de pedreiro que está sendo ministrado na Casa de Misericórdia”, informa Vilas Boas. 

Concluintes saem empregados

Para o gerente da Agência do Trabalhador de Apucarana, Neno Leiroz, o investimento em capacitação traz reflexos diretos no mercado de trabalho. Segundo ele, o município vive o chamado pleno emprego. “Isso significa que aqueles que buscam um emprego, a chamada população economicamente ativa, conseguem encontrar uma ocupação no curto prazo. Neste sentido, o Programa Portas Abertas tem sido fundamental, pois os trabalhadores são capacitados de acordo com as necessidades das empresas. Muitos trabalhadores, ao concluírem o curso, já saem empregados”, avalia Leiroz.