CIDADES

min de leitura - #

Registros de dengue sobem 260%; já de Covid-19 reduzem 48% na região

Fernando Klein

| Edição de 04 de maio de 2022 | Atualizado em 04 de maio de 2022
Imagem descritiva da notícia Registros de dengue sobem 260%; já
de Covid-19 reduzem 48% na região

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A dengue assumiu o lugar da Covid-19 na preocupação dos municípios da região. Os casos da doença transmitida pelo mosquito Aedes aegypti aumentaram 260% em abril na comparação com março nos 17 municípios da 16ª Regional de Saúde (RS), de Apucarana. A situação já é considerada de epidemia. Por outro lado, com o avanço da vacinação, os registros do novo coronavírus caíram 48% e o de mortes provocadas pela doença 92% no mesmo período. 

Em março, a 16ª RS registrou 317 casos de dengue. Em abril, foram 1.140 (aumento de 260%). No total, a região somava 1.737 registros da doença último relatório de abril, divulgado no dia 26. Levando em conta o boletim semanal divulgado ontem, os 17 municípios já contabilizam 2.041 confirmações. 

O quadro é inverso em relação à Covid-19. Em março, a região registrou 4.241 casos da doença contra 2.202 em abril (queda de 48%). O número de mortes foi praticamente zerado. Foram dois óbitos em abril contra 25 em março (redução de 92%). Os números são do levantamento diário da Secretaria de Estado da Saúde. 

Com a vacinação reduzindo as internações da Covid-19, o foco está voltado no combate à dengue. Na região, o quadro mais preocupante é de Arapongas. São 1.373 casos confirmados, segundo o último boletim. A título de comparação, a cidade somava 12 registros em 2 de março, o que representa um aumento de 11.341% em dois meses. 

O chefe da 16ª RS, Marcos Costa, admite a preocupação com a dengue, mas observa que o quadro é diferente da Covid-19. “A letalidade da Covid-19, antes da vacina, era incomparavelmente maior”, assinala. No entanto, a dengue gera alerta e a Regional de Saúde tem focado sua atuação nas últimas semanas em Arapongas. 

Dois veículos estão passando o chamado “fumacê” nos bairros da cidade. Marcos Costa alerta que o inseticida mata apenas o mosquito adulto, por isso, é fundamental que a população colabore eliminando os criadouros do Aedes aegypti. 

“O município de Arapongas prossegue com o trabalho de conscientização e o mutirão de limpeza nas ruas. Aliado ao fumacê, nossa expectativa é que os casos diminuam, mas estamos em uma época propícia para a proliferação do mosquito”, assinala. 

Marumbi é outra cidade onde a situação preocupa. São 508 casos de dengue confirmados, segundo o último boletim. A cidade também está em epidemia de dengue. O fumacê foi levado para o município e novas estratégias estão sendo colocadas em prática para evitar o aumento de registros da doença. “Também estamos monitorando e acompanhando com técnicos a evolução da doença em Grandes Rios, Jandaia do Sul, Bom Sucesso, Marilândia do Sul e Faxinal. São cidades que também preocupam”, assinala. 

No boletim divulgado ontem, mais um município da região atingiu índice epidêmico: Grandes Rios, que atingiu 28 novas confirmações da doença e soma 50 notificações. 

Na regional, apenas os municípios de Cambira, Novo Itacolomi e Rio Bom não têm casos confirmados. Nos demais, o total de casos é o seguinte: Apucarana (33), Bom Sucesso (17), Borrazópolis (8), Califórnia (1), Jandaia do Sul (10), Kaloré (7), Marilândia do Sul (13), Mauá da Serra (3), Sabáudia (6) e São Pedro do Ivaí (2).