CIDADES

min de leitura - #

Setor de fogos de artifício prevê alta de 25% nas vendas neste ano

Cindy Santos

| Edição de 28 de dezembro de 2022 | Atualizado em 28 de dezembro de 2022
Imagem descritiva da notícia Setor de fogos de artifício prevê alta de 25% nas vendas neste ano

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

As festas de Ano Novo, que prometem movimentar o fim de semana, também vão impulsionar as vendas de fogos de artifício na região. A expectativa dos empresários do ramo é que a projeção da Associação Industrial Comercial de Fogos de Artifícios do Paraná (Aincofapar), de que este será o melhor Réveillon dos últimos 10 anos para o setor, se confirme. 

A empresária Roseli Gomes, proprietária de uma loja do ramo em Apucarana, calcula um crescimento de até 25% nas vendas deste ano em comparação com o ano passado. Ela lembra que nos últimos dois anos o faturamento foi muito fraco por causa das medidas preventivas impostas durante a pandemia da covid-19. 

“Este ano foi bem satisfatório. As festas particulares e as populares promovidas pelas prefeituras da região aumentaram”, assinala. Na região, municípios como Cambira, Borrazópolis, Novo Itacolomi e Rio Bom terão shows pirotécnicos e atrações musicais para a população comemorar a passagem de ano (leia abaixo). 

Segundo Roseli, os produtos  mais procurados durante o Réveillon são os coloridos que proporcionam um maior efeito visual durante a noite. Fogos com ruído, mais conhecidos como rojão, geralmente são usados em comemorações que ocorrem durante o dia. “Geralmente os fogos com ruído são usados em comemorações de futebol, dia de Nossa Senhora, que são comemorações durante o dia, para fazer barulho”, comenta. 

A procura maior, segundo Roseli, é pelo artefato com efeito visual e com baixo ruído. “Aproximadamente 80% das vendas nesta época do ano são de fogos com efeito visual”, afirma.

TRADIÇÃO

O operador de máquinas Agnaldo Pereira dos Santos, 32 anos, de Apucarana, vai passar a virada de ano junto com a família em uma chácara. Para enfeitar ainda mais a noite especial, ele comprou fogos de artifício coloridos para receber 2023 em grande estilo. “Todos os anos compro fogos para a festa com a família. É uma tradição que marca a passagem de ano e traz um efeito visual muito bacana”, comenta. 

Operador de bordado Henrique Flausino, 31 anos, também vai passar o Réveillon junto com familiares e comprou diversos tipos de fogos. “Comprei uma caixa de foguetes mais um brinquedinho de crianças”, comenta.

Flausino conta que guarda na memória as festas de Ano Novo iluminadas pelas luzes dos fogos de artifício. “Meu pai sempre gostou muito e tenho certeza que ele já garantiu várias caixas para o Ano Novo. Estou levando as minhas”, comenta. 

Explosivos devem ser manuseados com cuidado, orienta especialista

A vendedora Jucelia Campos, de Arapongas, que trabalha em uma empresa que está há 17 anos no ramo, alerta para as medidas de segurança para evitar acidentes com fogos de artifício. De acordo com ela, é preciso tomar distância de pessoas, objetos inflamáveis, fiação elétrica, árvores, geradores de energia, entre outros. 

“Alguns modelos exigem no mínimo 30 metros de distância por conta da segurança e também para que as pessoas possam visualizar o efeito visual”, orienta. 

O Corpo de Bombeiros também orienta a população sobre os principais cuidados: Quem for manusear os fogos de artifício não deve ingerir bebidas alcoólicas; não permitir que crianças manuseiem os fogos; sempre comprar em lojas com o certificado do Corpo de Bombeiros e com a liberação da Delegacia de Armas e Munições; adquirir os fogos que estão equipados com bases de apoio ou suportes para serem instalados e disparados do chão; evitar soltar os fogos “na mão”, sempre usando extensores, suportes e luvas; ler e seguir as instruções nos rótulos das embalagens; não deixe crianças por perto ao acender fogos.