ESPORTES

min de leitura - #

Brasil goleia Coreia do Sul e agora vai enfrentar a Croácia

Da Redação

| Edição de 05 de dezembro de 2022 | Atualizado em 05 de dezembro de 2022
Imagem descritiva da notícia Brasil goleia Coreia do Sul e agora vai enfrentar a Croácia

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O futebol burocrático apresentado pela seleção brasileira na primeira fase da Copa do Mundo do Catar deu lugar ontem a um jogo leve, plástico e eficiente. Reforçado por Neymar, o Brasil fez no Stadium 974 sua melhor apresentação no Mundial contra a Coreia do Sul e atropelou o rival asiático por 4 a 1.

O “baile”, definido com quatro gols no primeiro tempo, garantiu a seleção brasileira nas quartas de final, fase em que vai enfrentar a atual vice-campeã mundial Croácia, que deixou também ontem o Japão pelo caminho, nos pênaltis. O confronto será na sexta-feira, às 12h (de Brasília), no Education City Stadium.

Se o ataque pouco funcionou nos três primeiros jogos, com apenas três gols, sobraram bolas na rede graças à inspiração do quinteto ofensivo, que viveu uma noite de brilho e comandou a goleada, construída com gols de Vinícius Junior, Neymar, recuperado de lesão, Richarlison e Lucas Paquetá. Todos os gols foram comemorados com dancinhas. Até mesmo Tite participou de uma delas, a dança do “Pombo”. 

Foram quatro gols num intervalo de 29 minutos na etapa inicial. O primeiro saiu aos sete dos pés de Vini Jr em conclusão precisa após linda jogada de Raphinha pela direita. Neymar ampliou aos 13, em cobrança de pênalti, com a categoria que lhe é peculiar e ficou a um gol de igualar Pelé (nas contas da Fifa) como o maior artilheiro da história da seleção brasileira.

A falta dentro da área foi sofrida por Richarlison, que anotou o terceiro aos 29, o mais bonito da partida, após trama que envolveu os zagueiros Marquinhos e Thiago Silva. O capitão deu a assistência para o camisa 9 bater no canto e comemorar com sua tradicional dança.

O quarto gol, aos 44, também foi fruto de uma trama envolvente com passe por elevação de Vini Jr. e conclusão de primeira e de direita do canhoto Lucas Paquetá. A Coreia até incomodou, mas Alisson, que não havia feito uma defesa sequer no torneio, trabalhou com segurança ao defender a conclusão de Hee-Chan.

Raphinha foi o único do quinto ofensivo que não balançou as redes no primeiro tempo. Por isso, no segundo, o time trabalhou para que ele marcasse. O atacante do Barcelona tentou de falta, de direita e de canhota, mas, atrapalhado pela ansiedade e pelo goleiro, não fez o dele.

Tite, satisfeito com o que viu, aproveitou a segunda metade da etapa final para descansar alguns atletas e dar rodagem a outros. Até mesmo o terceiro goleiro Weverton, do Palmeiras, sentiu o gosto de disputar um jogo de Mundial ao entrar no final no lugar de Alisson. Apenas ele não havia entrado em campo. Com isso, todos os 26 atletas, tiveram a oportunidade de atuar nesta Copa

Rodrygo substituiu Neymar. O camisa 10 jogou 80 minutos e não aparentou sentir o tornozelo direito. A Coreia apertou e parou duas vezes em ao menos duas grandes intervenções de Alisson, um dos protagonistas do jogo. Até que, no fim, os sul-coreanos foram premiados pela insistência com um bonito gol, marcado por Seung-Ho em finalização potente de fora da área. Nada que estragasse a festa brasileira.