ESPORTES

min de leitura

Simeone defende estilo do Atlético e rebate críticos: 'Peixe morre pela boca'

(via Agência Estado)

| Edição de 12 de abril de 2022 | Atualizado em 14 de abril de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Os duros questionamentos sobre o estilo de jogo do Atlético de Madrid não foram bem digeridos pelo técnico Diego Simeone. Nesta terça-feira, o argentino rebateu os críticos, sobretudo alguns treinadores, que detonaram a postura da equipe no jogo de ida das quartas de final com o Manchester City, com derrota por 1 a 0 na Inglaterra. Ele promete uma resposta no campo, nesta quarta-feira, na Espanha.

Mesmo Pep Guardiola, no City, acabou despertando a fúria do argentino. Simeone evitou tocar no nome do oponente deste meio de semana, mas as palavras de que o Atlético jogou um futebol da "pré-história" também não foram bem aceitas.

"Desde 2005 até hoje nunca fui depreciativo para com um companheiro meu. Coloco-me no lugar dos treinadores que defronto e há maneiras diferentes de expressar o que se sente. Quando alguém é depreciativo não partilho. As opiniões dos jornalistas, de ex-jogadores, de gente que não joga e quer dizer algo... O peixe morre pela boca, como dizia o meu pai. As palavras são de graça e todos podem opinar. Eu escolho sempre respeitar os meus colegas. Sempre", disparou Simeone.

Mensagem dada, o comandante colchonero previu um grande embate com os ingleses e não escondeu a esperança por levar o Atlético de Madrid a mais uma semifinal. Para isso, terá de vencer ao menos por um gol de diferença para garantir os pênaltis no Wanda Metropolitano.

"Vamos defrontar uma equipe que joga muito bem, com um bom ritmo, de transições muito rápidas... Os pequenos espaços terão de ser aproveitados da melhor maneira. Nós temos esperança, só assim se pode alcançar um bom resultado", mostrou confiança. "Temos de levar o jogo para um nível em que possamos fazer estragos. Mas as palavras não servem muito, o que conta é o que faremos quando iniciar o jogo."

Simeone aposta, também, na força das arquibancadas, mesmo com a punição da Uefa que reduziu o público em cinco mil presentes - o Atlético tenta reverter a punição na Justiça. "O que queremos é que nosso povo esteja lá. Espero que possa ser resolvido para que seja o mesmo para todos", pediu. "É claro que não vamos nos afastar muito do que acreditamos. Espero que possamos ter melhores transições e que nossos melhores jogadores tenham uma noite fantástica."