GERAL

min de leitura

Mais um condomínio irregular construído em área de milícia é derrubado

Douglas Corrêa - Repórter da Agência Brasil (via Agência Brasil)

| Edição de 17 de janeiro de 2023 | Atualizado em 17 de janeiro de 2023
Imagem descritiva da notícia Mais um condomínio irregular construído em área de milícia é derrubado

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A Secretaria do Ambiente e Clima do Rio de Janeiro e a subprefeitura de Jacarepaguá interromperam hoje (17) a construção de um condomínio clandestino na Estrada do Curipós, no bairro do Anil, zona oeste da cidade. A área estava embargada pela prefeitura do Rio desde 2019, mas os responsáveis pelo empreendimento ignoraram todos os autos administrativos para paralisar as obras. O lugar é dominado por milicianos, que ocupam o terreno, vendem lotes, montam a infraestrutura e vendem os imóveis, sem que o comprador consiga o habite-se da residência junto à prefeitura do Rio.

Durante a operação, os agentes encontraram supressão de vegetação, construções sem licença, parcelamento irregular do solo e outros crimes ambientais. Além dos agentes da prefeitura, participaram da ação, policiais da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente da Polícia Civil e da Polícia Militar Ambiental.

Notícias relacionadas:

O coordenador de Defesa Ambiental da prefeitura do Rio, José Maurício Padrone, afirmou que a construção do condomínio estava sendo feita próximo às margens do Canal do Anil. “Com o desmatamento e a terraplanagem poderia levar sedimentos para o canal, causando assoreamento e consequente inundação, afetando a comunidade do entorno”, disse.

A subprefeita de Jacarepaguá, Talita Galhardo, disse que esse tipo de abuso precisa acabar. “Muitas pessoas acham que podem ir subindo um morro, desmatando a vegetação e construindo lotes para venda. Elas ganham dinheiro de pessoas de boa fé, que muitas vezes nem sabem que estão comprando algo proibido, em área de proteção ambiental, e com graves riscos à preservação do meio ambiente”.