POLÍTICA

min de leitura - #

A empresários, Requião promete reduzir impostos

Da Redação

| Edição de 13 de setembro de 2022 | Atualizado em 13 de setembro de 2022
Imagem descritiva da notícia A empresários, Requião promete reduzir impostos

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O candidato ao governo Roberto Requião (PT) apresentou, na noite de segunda-feira, suas propostas para desenvolvimento do Paraná, em encontro com empresários na Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM). No evento, ele lembrou de programas e projetos já feitos em suas gestões como governador. Os principais temas da apresentação foram as possibilidades de redução de impostos e a oferta, por meio da Copel, de energia elétrica limpa e barata ao empresariado estadual.

Requião voltou a afirmar que é fundamental que a Copel deixe de ser subserviente a seus sócios minoritários e de atender aos interesses do mercado para voltar a trabalhar em prol do Estado, oferecendo energia barata, que permita que as empresas operem com tranquilidade. Dessa forma, também, as famílias não têm que decidir entre pagar a conta de luz e comprar comida, disse.

Requião afirmou que, em seu próximo governo, fará um programa voltado à energia solar – aos moldes do que fez no programa Trator Solidário. O governo negociaria a compra de painéis e transformadores com grandes produtores para baratear os preços, e financiaria os equipamentos a empresários e agricultores a preços abaixo do mercado.

O candidato ainda lembrou de um acordo feito com o setor produtivo do Estado para reduzir impostos durante a crise econômica de 2007. Ele reduziu a tributação com a garantia de que os empresários não fariam demissões. Assim, impostos que eram de cerca de 18% chegaram a ser reduzidos para 2% para micro e pequenas empresas.

Ao fim da reunião, Requião recebeu do presidente da Associação Comercial e Empresarial de Maringá, Michel Felippe Soares, um documento com demandas da instituição. 

São demandas nas áreas de indústria, comércio, infraestrutura urbana, logística e de fomento à economia.