POLÍTICA

min de leitura - #

Apucarana busca parceria com TCE-PR

Da Redação

| Edição de 10 de outubro de 2022 | Atualizado em 10 de outubro de 2022
Imagem descritiva da notícia Apucarana busca parceria com TCE-PR

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O prefeito de Apucarana, Junior da Femac (PSD), manteve contato ontem, em Curitiba, com o Presidente do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), conselheiro Fabio Camargo. Foi durante o seminário técnico denominado Nova Prestação de Contas Anual. “Coloquei Apucarana à disposição para a realização de atividades de formação do TCE/PR, e também falamos sobre a licitação do Hospital de Apucarana”, informou Junior da Femac. O Presidente do TCE-PR, Fábio Camargo, ressaltou a importância da parceria e do diálogo entre o município e o tribunal. “O Tribunal está aberto para ajudar e acompanhar esta licitação e as demais ações do  município de Apucarana”, assinalou Camargo, agradecendo por Apucarana já ter sediado um seminário do TCE e, novamente, ter se colocado à disposição para um novo evento.

Interlocução com Estado O vice-prefeito de Apucarana, Paulo Sérgio Vital (PSD), vai capitalizar o resultado das eleições para ampliar o trabalho de interlocução pelas demandas da cidade junto ao governo do Estado. Vital foi candidato a deputado estadual, a pedido do próprio governador Ratinho Júnior (PSD), que é do mesmo partido, fazendo uma votação expressiva. Foi a primeira vez que Vital se candidatou, de forma direta, a um cargo público. Agora, em companhia do prefeito Junior da Femac (PSD), Vital pretende investir na mediação dos pleitos de Apucarana junto ao Estado, estreitando canais com o governo de Ratinho Júnior. Ele, inclusive, já teria sido indicado pelo próprio Ratinho Junior para fazer essa interlocução entre Apucarana e o governo.Mais ministros no STFO deputado federal Ricardo Barros (PP-PR), líder do governo Bolsonaro na Câmara, defendeu ontem a proposta de aumentar o número de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) dos atuais 11 para 16 integrantes. “É uma necessidade de enquadramento do ativismo do Judiciário. O ambiente é que define a possibilidade da mudança”, justificou. “Se o Judiciário permanecer nesse nível de ativismo político, as decisões tomadas por gostar, ou não, de um determinado governo, ou por querer ou não ter mais poder, ou pensar numa ditadura do Judiciário, que acham que pode ser alcançada, isso vai ter reação do Poder Legislativo de forma muito severa”, completou Ricardo Barros.Câmara com bom saldoNa sessão desta segunda-feira, o presidente da Comissão de Finanças, Economia e Orçamento da Câmara de Apucarana, vereador Marcos da Vila Reis (PSD), fez uma apresentação das contas do Legislativo referentes ao mês de setembro. De acordo com o relatório, o Legislativo Municipal fechou o mês com cerca de R$ 2,6 milhões em caixa. O presidente da Casa de Leis, vereador Franciley Preto Godói Poim (PSD), está na expectativa de devolver um bom volume de recursos ao Executivo no mês de dezembro, após saldar todos os compromissos financeiros. Ele assinala que a Mesa Diretora vem fazendo tudo que pode para economizar recursos que poderão ser aplicados em outros programas e projetos.Paraná com superávitO governo do Paraná teve um superávit – diferença entre receitas e despesas – de R$ 7,1 bilhões entre janeiro e agosto deste ano, segundo prestação de contas apresentadas pelo secretário de Estado da Fazenda, Renê Garcia Júnior, à Assembleia Legislativa em audiência pública ontem. Apesar disso, Garcia Júnior afirmou que não há como definir agora se haverá ou não reajuste salarial para os servidores públicos estaduais este ano ou em 2023, por causa do quadro de incertezas da economia mundial e brasileira para o ano que vem.