POLÍTICA

min de leitura - #

Apucarana estima receita de R$ 362,5 milhões em 2019

Edison Costa

| Edição de 26 de junho de 2018 | Atualizado em 25 de janeiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A Câmara de Vereadores de Apucarana realizou ontem à tarde, antes da sessão ordinária, audiência pública para apresentação e discussão do projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2019 tanto do Executivo como do Legislativo. Como vem acontecendo nas últimas semanas, a audiência ocorreu no salão nobre da Prefeitura, em função das obras de reforma do prédio da Câmara.

Imagem ilustrativa da imagem Apucarana estima receita de R$ 362,5 milhões em 2019


A LDO compreende as metas e prioridades da administração pública. Elaborada anualmente, a LDO tem como objetivo apontar as prioridades do Município para o ano seguinte. É a LDO que orienta a elaboração da Lei Orçamentária Anual (LOA), baseando-se no que foi estabelecido pelo Plano Purianual (PPA).
O projeto das diretrizes orçamentárias do Município foi apresentado pelo diretor de Controladoria da Secretaria Municipal da Fazenda, Elinésio Lopes Santana Júnior, representando o secretário Marcello Augusto Machado.
Em sua exposição, Elinésio Júnior, assinalou que a estimativa orçamentária do Município de Apucarana para o ano que vem é de aproximadamente R$ 362,5 milhões, contra R$ 350,1 milhões estabelecidos para o decorrer de 2018, representando um aumento de 3,5%. Os percentuais de investimentos mínimos em educação e saúde estão garantidos na base de 25% e 15%, conforme recomenda a lei fiscal.
Para o ano que vem, o Município estima um gasto de aproximadamente R$ 13 milhões com precatórios, um problema sério que vem sendo enfrentado pela administração municipal. De acordo com Elinésio, apesar do impacto que isso causa no orçamento, a intenção do prefeito Beto Preto (PSD) é garantir o bom funcionamento da máquina pública, como vem ocorrendo, e investimentos em projetos prioritários em favor da população.
Quanto às diretrizes da Câmara de Vereadores, conforme projeto apresentado pela técnica legislativa Telma Reis, a previsão do orçamento para o ano que vem é de R$ 12,3 milhões, contra R$ 11,1 milhões em 2018.

RECESSO
A Câmara de Apucarana realizou ontem a última sessão ordinária do primeiro semestre legislativo. A partir da próxima segunda-feira (dia 2) será cumprido o recesso parlamentar de trinta dias de meados do ano. A próxima ordinária está prevista para a primeira segunda-feira de agosto (dia 6).
O presidente do Legislativo, vereador Mauro Bertoli (DEM), frisou que no recesso só não acontecem sessões ordinárias. “Sempre que convocada, a Câmara fará sessões extraordinárias para votar projetos de lei do Executivo encaminhados em regime de urgência”, disse.
Bertoli acrescenta que os trabalhos na Câmara também não param, com os vereadores atendendo à comunidade normalmente em seus gabinetes, assim como os próprios funcionários. “A Câmara vai continuar de portas abertas no recesso para atender o povo de Apucarana”, declara.
Na sessão ordinária de ontem foram votados e aprovados cinco projetos de lei de autoria dos vereadores, dois do Executivo e três requerimentos. No encerramento dos trabalhos, Bertoli convocou os vereadores para três sessões extraordinárias a serem realizadas amanhã, quinta e sexta-feira, às 10h45, para votação do projeto da LDO.