POLÍTICA

min de leitura - #

Assembleia começa votação de propostas que beneficiam os servidores públicos do Estado

Da Redação

| Edição de 29 de março de 2022 | Atualizado em 28 de março de 2022
Imagem descritiva da notícia Assembleia começa votação 
de propostas que beneficiam os servidores públicos do Estado

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A Assembleia Legislativa do Paraná deu o primeiro passo para aprovar o pacote de projetos do Governo voltados ao funcionalismo público. Medidas com impacto especial nas forças de segurança, como a correção dos subsídios e distorções nas carreiras de policiais civis, científicos e da Polícia Militar, além da regulamentação de cargos do Departamento de Polícia Penal (Deppen) chegaram nesta segunda-feira ao Legislativo. Outra proposta prevê auxílio-alimentação de R$ 600 para mais 10,7 mil servidores efetivos.

As mensagens do Executivo foram lidas em Plenário e, como estão em regime de urgência, foram incluídas e aprovadas em uma sessão extraordinária na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). As matérias também tiveram parecer favorável na Comissões Finanças e Tributação. Já na reunião da Comissão de Segurança Pública, o deputado Soldado Fruet (PROS) pediu vista do projeto que trata da reestruturação de carreira das Polícias e do projeto que institui preço público para cobrança de despesas com procedimentos da Polícia Científica. Com isso, a Comissão volta a se reunir às 9 horas desta terça-feira. 

O presidente Ademar Traiano (PSD) já havia sinalizado que trataria as pautas com agilidade, devido às exigências da legislação eleitoral, pois nenhum aumento ou benefício para o funcionalismo pode ser aprovado depois de 2 de abril, seis meses antes das eleições 2022. Os projetos estão pautados para serem votados pelo plenário nesta terça-feira. Está prevista também a realização de duas sessões extraordinárias.

As iniciativas despertaram manifestações distintas no parlamento. “Trabalhamos a semana inteira com todos envolvidos. O Governo está no limite das suas possibilidades, fazendo o esforço máximo e supremo para o reconhecimento das carreiras. Vai melhorar a vida, sim. Atendendo um anseio antigo das categorias”, avaliou o líder do Governo na Assembleia, Hussein Bakri (PSD).

O deputado reconheceu que algumas categorias ficaram de fora do reenquadramento, mas que determinados ajustes podem ser feitos após o prazo imposto pela lei eleitoral. “Carreiras como do Detran vão ser tratadas em outro projeto, bem como o reenquadramento dos policias penais e das universidades. Existe a possibilidade no escopo do Governo de ser feito até o meio do ano”, explicou.