POLÍTICA

min de leitura - #

Câmara de Vereadores aprova criação do Restaurante Popular em Apucarana

DA REDAÇÃO

| Edição de 15 de março de 2022 | Atualizado em 17 de março de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A Câmara de Vereadores de Apucarana aprovou nesta segunda-feira em primeiro turno (em sessão extraordinária) e em segunda votação (na sessão ordinária) projeto de lei encaminhado pelo prefeito Junior da Femac (PSD), que cria o Restaurante Popular em Apucarana. A proposta segue agora para sanção do Executivo.

De acordo com o projeto, o programa Restaurante Popular é destinado a propiciar à população em situação de vulnerabilidade social uma refeição diária a preço bastante acessível e com qualidade. O funcionamento do restaurante ainda será regulamentado pelo Município, com a fixação do valor da refeição, local e horário de atendimento e cadastramento dos beneficiários. A princípio, o valor da refeição seria de R$ 2.
“A alimentação adequada é direito fundamental do ser humano, sendo assim é essencial que o Poder Público adote políticas e ações para promover e garantir a segurança alimentar e nutricional de toda a população”, justifica o prefeito.
Vereadores enalteceram a iniciativa do Executivo. “É um projeto de grande alcance social, que vai atender grande parte da população com refeições a preço bem acessível”, disse Mauro Bertoli (DEM), líder do prefeito. “Esse projeto vai mostrar a realidade de nossa cidade, pois vai atender aqueles que mais precisam”, acrescentou o vereador Marcos da Vila Reis (PSD). 
Também foram aprovados projeto de lei dos vereadores Luciano Facchiano (PSB) e Rodrigo Recife (DEM), que obriga a Sanepar dar um tempo ao usuário para pagar conta de água e luz antes de suspender o serviço; projeto do presidente da Casa, Franciley Preto Godói Poim (PSD), que concede o título de Cidadão Honorário ao empresário Aldivino Marques da Cruz Neto, o Val; requerimento do vereador Lucas Leugi (PP), que pede à Viação Apucarana informações sobre o cumprimento de duas leis municipais; e requerimento do vereador Luciano Facchiano, que pede informações ao Executivo sobre vagas para deficientes na frente de CMEIs e escolas.