POLÍTICA

min de leitura - #

Deltan Dallagnol diz que União deveria ser processada, não ele

Claudemir hauptmann

| Edição de 24 de março de 2022 | Atualizado em 23 de março de 2022
Imagem descritiva da notícia Deltan Dallagnol diz que União 
deveria ser processada, não ele

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O ex-procurador da República e ex-coordenador da Lava Jato no Paraná, Deltan Dallagnol, disse ontem, em Apucarana, onde esteve divulgando um projeto apartidário, que ainda não consegue entender a decisão do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que o condenou a pagar uma indenização ao ex-presidente Luiz Ignácio Lula da Silva (PT), por conta do episódio do famoso Power Point, de 2016.

Dallagnol faz duras críticas à decisão e reitera que “só pode ser uma reação de vingança do sistema”, contra seu trabalho. “Não consigo entender essa decisão fora do contexto de grande reação do sistema e na perspectiva de uma eventual eleição do ex-presidente Lula, que está como favorito e que vai escolher os futuros ministros do STF. E vários ministros do STJ podem ter essa pretensão”, declarou em entrevista exclusiva ao site TNOnline. 

“Não posso acusar ninguém, dizer que fulano fez isso. Mas estou retratando o ambiente que concluiu essa decisão. Tecnicamente, ela (a decisão) não faz nenhum sentido”, diz. O ex-procurador, que vem manifestando sua indignação pela decisão desde o final da tarde de terça, comenta, ainda, em tom de desabafo: “Tudo foi revertido num filme de terror, o que nos colocou numa sensação de injustiça, de desesperança, de fracasso”.

Em entrevista à Tribuna, transmitida ao vivo nas plataformas digitais da TNOnline, Dallagnol disse que “o que existe hoje é um movimento de reação contra a Lava Jato, de libertar corruptos, de anular processos, de derrubar os resultados. E não duvido que daqui a pouco os corruptos estejam pedindo de volta o dinheiro que devolveram confessando os crimes. É isso que vai acontecer se  a gente não se posicionar”, diz.

Dallagnol reitera que sua apresentação do Power Point, em 2016, “retratou fielmente o conteúdo da acusação. Ele destaca que o ex-presidente Lula foi condenado nas duas primeiras instâncias, “mais técnicas”, e diz que o caso foi revertido no STJ, “onde as indicações têm caráter mais político”, disse, lembrando que quatro membros daquele colegiado foram indicados pelos ex-presidentes Lula e Dilma.

Por fim, Dallagnol cita ainda uma súmula do próprio STJ, pela qual o tribunal pacifica a questão de não reexaminar fatos e provas no tipo de recurso protocolado por Lula. “Contudo, de modo não usual, a súmula foi superada”, afirma.

Além disso, cita ainda que pela decisão do STF, “que deveria ser seguida de forma obrigatória por todos os tribunais, a ação de Lula não poderia ser proposta contra mim, mas sim contra a União. E o STJ superou essa questão também”, afirma.

Apoiadores mandam pix para ajudar na indenização a Lula

A indenização do ex-coordenador da Lava Jato, Deltan Dallagnol, ao ex-presidente Lula, determinada pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), chega a R$ 75 mil que, corrigidos, pode passar de R$ 200 mil. 

Nesta quarta-feira em Apucarana, ao falar sobre o caso, Deltan disse que “apesar de ontem (terça) ter ido dormir triste, acordei hoje (quarta) muito feliz com uma notícia. Várias pessoas, em manifestação voluntária de apoio, descobriram meu CPF pela internet e me fizeram pix. São centenas de caso. Foi uma forma carinhosa de apoio. Eu agradeço muito e no momento oportuno vou prestar contas disso”, conclui.

À noite, em suas redes sociais, Deltan informou que em menos de 24 horas foram depositados espontaneamente em sua conta mais de R$ 130 mil.