POLÍTICA

min de leitura - #

Deputada do PR retira pré-candidatura ao Senado

Edison Costa

| Edição de 31 de julho de 2018 | Atualizado em 25 de janeiro de 2022

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

A deputada federal Christiane Yared (PR) desistiu da sua intenção de concorrer ao Senado,  conforme havia anunciado desde o ano passado. Ela vai concorrer à reeleição, atendendo a um pedido da cúpula estadual do partido, que apoia a candidatura de Ratinho Junior ao governo do Estado.

Imagem ilustrativa da imagem Deputada do PR retira pré-candidatura ao Senado


Segundo ela, o objetivo do PR é fortalecer a bancada de deputados federais nas eleições deste ano e seu nome poderá contribuir para que o PR eleja um maior número de representantes na Câmara Federal. Em 2014, concorrendo pelo Partido Trabalhista Nacional (PTN), Christiane Yared foi eleita com 200.144 votos.
Ela entrou na política e ficou conhecida em todo o Estado após a morte de seu filho jovem Gilmar Rafael Sousa Yared, ocorrida num acidente de trânsito em Curitiba, em maio de 2009, juntamente com outro jovem Carlos Murilo de Almeida. O acidente teve o envolvimento do então deputado estadual Fernando Ribas Carli Filho (PSB). Desde então, ela passou a fazer campanhas para diminuir os acidentes e as mortes no trânsito, combatendo sobretudo a embriaguez no volante.
Christiane Yared esteve ontem pela manhã no Hospital da Providência, onde ministrou palestra para os funcionários sobre prevenção a acidentes de trânsito e fez um balanço de suas emendas aprovadas em benefício do hospital. Ela informou ter contemplado o hospital com R$ 650 mil para aquisição de equipamentos. Christiane assegura que 82% de suas emendas aprovadas junto ao orçamento da União são direcionadas à saúde. Para o Paraná já foram liberados em torno de R$ 100 milhões, beneficiando 122 municípios. Para a região norte do Estado foram destinados R$ 16 milhões em recursos.
Nesses 3 anos e meio na Câmara Federal, a deputada  informa ter apresentado 35 projetos de lei, porém apenas três foram aprovados e se transformaram em lei. Esses projetos tratam da implantação do marco regulatório do transporte rodoviário de cargas, do aumento da pena para quem causa acidente dirigindo embriagado ou usando celular no volante e o que trata do flagrante continuado para quem causa morte no trânsito e foge do local sem prestar socorro à vítima.