POLÍTICA

min de leitura - #

Deputado apucaranense passa a integrar equipe de transição de governo

Da Redação

| Edição de 02 de dezembro de 2022 | Atualizado em 02 de dezembro de 2022
Imagem descritiva da notícia Deputado apucaranense passa a integrar equipe de transição de governo

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

O deputado estadual Arilson Chiorato (PT), de Apucarana, passou a integrar a equipe do Grupo de Trabalho (GT) de Infraestrutura do governo de transição do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva (PT). O parlamentar, que já vinha participando de reuniões desde quarta-feira, agora faz parte oficialmente da equipe técnica, coordenada pela ex-ministra do Planejamento, Orçamento e Gestão, Miriam Belchior.

A nomeação foi publicada no Diário Oficial da União desta quinta-feira. “Recebi esse convite com muito orgulho, compromisso e com sentimento de cumplicidade ao projeto de reconstrução do país”, afirma nesta sexta-feira o deputado Arilson, que mora no Núcleo Habitacional Affonso Camargo, em Apucarana.

“O GT de Infraestrutura abrange áreas estratégicas para o desenvolvimento do Brasil, como rodovias, ferrovias e portos. Neste primeiro momento, um dos desafios é fazer um diagnóstico preciso para identificar as principais carências, para fazer uma completa reconstrução e inovação logística e de infraestrutura para o Brasil”, comenta o parlamentar, que coordena a Frente Parlamentar do Pedágio na Assembleia Legislativa do Paraná.

Aliás, na equipe de transição, o deputado Arilson também discutirá as concessões de rodovias, de maneira especial, a paranaense. “Todos sabem que a minha luta por um pedágio justo não é de hoje, vem desde 2019, quando propus a criação da Frente Parlamentar com a finalidade de acompanhar e fiscalizar a execução das obras em andamento, bem como o encerramento dos contratos de pedágio do Paraná e a nova proposta para as rodovias paranaenses”, pontua.

Com o pedágio na pauta da equipe de transição de governo, o deputado Arilson avalia que o momento será um divisor de águas. “Muitos não acreditavam que o pedágio no Paraná pudesse ganhar um novo desfecho, mas vai ganhar e vamos trabalhar, de forma assídua, para redesenhar o modelo de pedágio para os paranaenses. Vamos apontar os erros e buscar, principalmente, avançar numa proposta com obras, pistas seguras e tarifas mais baixas”, afirma

De acordo com o parlamentar, o modelo de pedágio para o Paraná deverá ser discutido com toda a sociedade paranaense. “Porém, a nossa luta é por evitar falhas já identificadas e, inclusive, denunciadas ao Tribunal de Contas da União (TCU), como a presença de obras em duplicidade, o que vinha encarecendo as tarifas e superfaturamento nos preços das desapropriações de terrenos. Também não aceitamos 40% de aumento após a entrega das obras e a falta de transparência no processo. Esse é o momento para corrigir esses absurdos que queriam empurrar aos paranaenses”, diz.