POLÍTICA

min de leitura - #

Em encontro com embaixadores, Bolsonaro ataca TSE, STF e urnas

Estadão Conteúdo

| Edição de 18 de julho de 2022 | Atualizado em 18 de julho de 2022
Imagem descritiva da notícia Em encontro com embaixadores, Bolsonaro ataca TSE, STF e urnas

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Na reunião com cerca de 40 embaixadores estrangeiros que aconteceu na tarde desta segunda-feira, no Palácio da Alvorada, o presidente Jair Bolsonaro (PL) escolheu repetir sua tese de que o sistema eleitoral brasileiro é passível de fraudes. Ele citou vídeos descontextualizados e informações já desmentidas pela Justiça Eleitoral.

“Eu sou acuado o tempo todo de querer dar o golpe, mas estou questionando antes porque temos tempo ainda de resolver esse problema”, afirmou o presidente a apoiadores, apresentando um PowerPoint com suas desconfianças e ataques a ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). “Nós preservamos a nossa democracia. Até o momento uma só palavra minha houve fora do que chamo de quatro linhas da nossa Constituição, respeitamos as leis”.

De acordo com Bolsonaro, hackers ficaram por oito meses dentro dos computadores do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e tiveram acesso a uma senha de um ministro da Corte. “Eu sou presidente da República e fico envergonhado de falar isso aqui”.

Aos embaixadores, Bolsonaro garantiu que tudo o que apresenta está documentado. “O que eu mais quero por ocasião das eleições é a transparência. Queremos que o ganhador das eleições seja aquele que foi votado”. Em novo ataque às urnas, afirmou que apenas dois países do mundo usam o sistema eleitoral adotado no Brasil e lembrou a facada que sofreu em 2018. “Repito, o que queremos são eleições limpas, transparentes. Eleito deve realmente refletir a vontade da população”.

“INTERCÂMBIO”

Após Bolsonaro apresentar a embaixadores suas desconfianças sobre o sistema eleitoral brasileiro, o Palácio do Planalto emitiu nota que minimiza os ataques do chefe do Executivo às urnas eletrônicas e chama o encontro de “intercâmbio de ideias”. O posicionamento oficial é incomum no atual governo.

“O senhor Presidente da República manteve encontro hoje com chefes de missões diplomáticas acreditadas no Brasil para intercâmbio de ideias sobre o processo eleitoral em curso no nosso País”, diz o governo, em nota oficial. O encontro com embaixadores aconteceu na tarde desta segunda-feira no Palácio da Alvorada e não constou da agenda oficial, como orienta a legislação.

No posicionamento oficial, o governo diz que Bolsonaro tem como prioridade fazer valer a vontade dos eleitores nas urnas. “O senhor Presidente da República sublinhou aos titulares e representantes diplomáticos presentes seu desejo de aprimorar os padrões de transparência e segurança do processo eleitoral brasileiro. Enfatizou que a prioridade é assegurar que prevaleça, de modo inquestionável, a vontade do povo brasileiro nas eleições”, diz a nota