POLÍTICA

min de leitura - #

Paulo Vital discute propostas com empresariado de Apucarana

Cindy Santos

| Edição de 19 de setembro de 2022 | Atualizado em 19 de setembro de 2022
Imagem descritiva da notícia Paulo Vital discute propostas com empresariado de Apucarana

Fique por dentro do que acontece em Apucarana, Arapongas e região, assine a Tribuna do Norte.

Diretores e demais associados da Associação Comercial, Industrial e de Serviços de Apucarana (Acia) promoveram encontro político, na noite de ontem, em sua sede, com o candidato a deputado estadual Paulo Vital (PSD). O encontro faz parte de uma agenda política idealizada pela Acia visando ouvir todos os candidatos a deputado estadual e federal do município sobre suas propostas de trabalho e, ao mesmo tempo, apresentar aos candidatos uma pauta unificada de reivindicações de interesse de Apucarana e da região.

Segundo o presidente da Acia, Wanderley Faganello, a conversa com o candidato Paulo Vital, assim como com demais postulantes a cargos eletivos, foi pautada a partir de sugestões dos associados, com demandas na área de infraestrutura, saúde, segurança educação, tecnologia, economia e legislação, entre outras. 

Paulo Vital, por sua vez, ressaltou a importância de eleger um candidato apucaranense para ser a voz do município na Assembleia Legislativa, lutando por recursos em benefício da cidade e região. O candidato disse que, se for eleito, também pretende criar um projeto para implantar o modelo de educação de Apucarana para todo o Paraná. “A gente precisa avançar muito na educação. Existe uma grande diferença de uma criança quando sai do ensino fundamental e vai para o estadual. Por isso uma das minhas propostas é levar as diretrizes da educação de Apucarana para todo o Estado”, afirmou. 

CONFECÇÕES

Vital também destacou a importância de criar soluções a longo prazo para ajudar a indústria do vestuário, setor carro-chefe da economia municipal que, segundo ele, vem perdendo competitividade. “Tem a questão da mão de obra que está cada dia mais difícil, temos que pensar em uma solução estadual, em uma legislação para ajudar a nossa confecção que está perdendo competitividade para o nordeste. Temos que pensar na feira da marca própria, é preciso retomar esse assunto”, afirma. No final, ele recebeu um documento com as propostas do empresariado local. (CINDY SANTOS)